Água de Campina pode estar contaminada e doenças aumentam 400%, diz Saúde

25
COMPARTILHE

A secretária de Saúde de Campina Grande, Luzia Pinto, disse ao Correio Online nessa quarta (1º) que 72 amostras de água coletadas em torneiras das zonas urbana e rural de Campina Grande estavam insatisfatórias para consumo. A situação crítica da qualidade da água é atestada em documento exclusivo obtido pelo Portal Correio e assinado pela Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa).

Leia também: Cagepa confirma em laudos que água de Boqueirão tem alto índice de contaminação

“Informamos a Cagepa que a água que ela distribui pode estar contaminada, encaminhamos essas amostras para eles nos darem a contraprova e não tivemos resposta alguma. As Unidades de Pronto Atendimentos (UPAs) já registram um aumento de 400% no número de pacientes em função de doenças bacterianas. Precisamos agir rápido”, avaliou a secretária.

Professores da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) se reuniram em Campina Grande, juntamente com gestores públicos, com o intuito de discutir o risco de contaminação da água do reservatório Epitácio Pessoa (Boqueirão), no quinto ano de estiagem.

O objetivo era traçar um plano de ação para evitar que as cianobactérias atinjam valores que impossibilite a distribuição da água através da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) à Campina Grande e mais 19 cidades. Um novo encontro ficou marcado para o dia 9, às 14h, no Ministério Público.

“A proposta é chamar a atenção das autoridades e alertar a população pra o momento crítico que estamos vivendo. Convidamos a ANA (Agência Nacional de Águas), Aesa, Cagepa, Defesa Civil, OAB, 19 prefeitos e câmaras e mesmo assim nem a agência nem a Cagepa estiveram presentes. De prefeito, só Romero, gestor de Campina Grande”, avaliou o vereador Lula Cabral. De acordo com o parlamentar, se faz necessário que o problema seja avaliado além de conotações político-partidárias.

O açude Epitácio Pessoa, que fica na cidade de Boqueirão e abastece Campina, está com apenas 9,2% da capacidade, conforme a Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa). A cidade enfrenta esquema de racionamento, ficando sem água das 17h do sábado às 5h da quarta.

Leia a matéria completa na edição desta quinta-feira (2) do jornal Correio da Paraíba.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas