Água do São Francisco vai demorar até 45 dias para alcançar açude Boqueirão

20
0
COMPARTILHE

A água do Rio São Francisco pode demorar até 45 dias, a partir desta sexta-feira (10) para alcançar o açude Epitácio Pessoa, na cidade de Boqueirão, de onde segue para as torneiras dos moradores da Região Metropolitana de Campina Grande. A população aguarda por esse momento, tendo em vista que o reservatório tem apenas 3,6% da capacidade. Siga a inauguração do eixo leste em tempo real.

Leia também:

Em vídeo sobre a transposição, Temer grava mensagem a paraibanos

Primeiro açude da PB a receber transposição vai ficar totalmente cheio em até sete dias

 Multidão acompanha teste da transposição do São Francisco para o rio Paraíba; vídeo

Transposição levou 147 anos para deixar de ser ideia e se tornar realidade; veja linha do tempo

Correio da Paraíba traz caderno especial sobre Transposição do Rio São Francisco

Técnicos da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado (Aesa) acompanharão a abertura da comporta que despejará as águas do Velho Chico no Rio Monteiro, no cariri paraibano. O acionamento do dispositivo de controle será feito na tarde desta sexta-feira (10) pelo presidente da República, Michel Temer, durante a inauguração do Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco.

Após o acionamento, as águas do rio São Francisco, que chegaram a solo paraibano na noite da quarta-feira passada, seguirão para o açude Poções e de lá para o rio Paraíba na direção da barragem Epitácio Pessoa.

“Nossos engenheiros calcularam entre 30 e 45 dias para que água chegue à cidade de Boqueirão. Não é possível fazer um cálculo exato pois existem muitas variantes e algumas são difíceis de mensurar como a saturação do solo na calha do rio. Mas uma coisa é certa, as chuvas podem agilizar este processo, pois quanto mais encharcado estiver o solo, mais rápido vai ser”, explicou o presidente da Aesa, João Fernandes da Silva.

O percurso das águas do São Francisco, entre Monteiro e Boqueirão será monitorado pelo governo do Estado. Técnicos da Aesa, Defesa Civil Estadual, Cagepa, Sudema e Polícia Ambiental orientarão moradores ribeirinhos sobre a importância de permitir o fluxo normal do rio e denunciar possíveis irregularidades.

“Nesta fase inicial, até que a situação do açude Epitácio Pessoa esteja normalizada, as águas do Velho Chico só poderão ser utilizadas para consumo humano e animal”, alertou João Fernandes. A equipe coordenada pela Aesa utilizará um drone para fiscalizar o leito do rio Paraíba.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas