Ap?s demiss?o na Sa?de, oposi??o cobra presen?a de secret?ria

0
COMPARTILHE

As demissões de terceirizados e prestadores de serviço vinculados a Secretaria de Saúde do Governo do Estado foi confirmada através de nota emitida pela secretária da pasta, Roberta Abath. As exonerações geraram discussão na Assembleia Legislativa da Paraíba e a bancada de oposição cobrou a presença da secretária para prestar esclarecimentos.

Leia mais notícias de Política do Portal Correio

A deputada estadual Camila Toscano afirmou que fez um requerimento convocando a secretária para uma audiência na Casa Epitácio Pessoa. “Ela já foi convocada para essa Casa e sempre diz que a agenda não permite, mas ela precisa prestar esclarecimento, se não estará cometendo crime de responsabilidade”, advertiu.

Ela criticou o Governo por causa das demissões e aumento de verba para a publicidade institucional. “Eu vi que ela emitiu uma nota dizendo que o Governo precisava ter essas demissões, mas eu acho que merece uma explicação. Em Guarabira tínhamos funcionários que tinha 15 anos no serviço e forma demitidos sem nenhum aviso prévio. O governo está gastando tanto com propaganda. Porque aumentar propaganda e demitir seus servidores?”, questionou.

A deputada Estela Bezerra, da bancada de situação, disse que é uma atividade comum aos secretário irem a ALPB fazerem prestação de contas. “A vinda dos secretários aqui na Casa é rotineira todas as secretarias precisam vir na Assembleia para prestarem contas do que estão fazendo. Isso é um aspecto e que a gente preza por isso”, disse.

Mas ela ressaltou que as demissões são medidas tomadas por causa da crise econômica. “O Estado cortou 30% do seu custeio. As secretarias tiveram que fazer o exercício de cortar na carne e também vai ter que tomar as medidas de enxugamento de folha, mas quem tem que falar disso é o Executivo”, declarou.

As demissões foram registradas em unidades de saúde do Estado ocorrem por conta dos cortes feitos pelo governo federal. Só no Hospital de Trauma de Campina Grande, seriam cerca de 200 profissionais que iriam ser substituídos por concursados.

De acordo com o Estado, a Paraíba possui 33 hospitais, quatro Unidades de Pronto Atendimento (UPAS), 23 unidades entre postos de coleta e bancos de leite, e 10 hemonúcleos e dois hemocentros que constituem uma complexa hemorrede e serviços de apoio diagnóstico e laboratorial. O poder Executivo da Paraíba dá suporte ainda à regionalização da saúde através de 12 gerências regionais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas