Aumento nos impostos

16
COMPARTILHE

Em nota na qual responde a mim por texto escrito neste espaço pela competente e corajosa jornalista Adriana Bezerra sobre um rombo de R$ 500 milhões nas contas públicas, o secretário Luis Torres (Comunicação) sustentou que o Estado está financeiramente ajustado e com fornecedores em dia. Garantiu que fechou 2015 equilibrado.

Lembrei da sua narrativa ao testemunhar a indignação de consumidores quanto ao preço da gasolina, que além de cara está escassa em João Pessoa. A causa da falta do produto ainda não está clara, mas no que diz respeito ao preço, tem explicação: com a virada do ano, entraram em vigor os aumentos de impostos, entre eles o ICMS.

Se o Estado está equilibrado, por que copiar o governo federal e sacrificar os paraibanos, aumentando também os impostos estaduais? Por que tirar, a mais, do bolso dos cidadãos, R$ 289 milhões neste 2016?

A previsão de arrecadação é do secretário Marialvo Laureano (Receita), e foi anunciada na análise da proposta que aumentou o IPVA (sobre automóveis, motos e embarcações), do ICMS (consumo em geral) e do ITCD (Imposto sobre a Transmissão Causa Mortis e Doação).

Ao emplacar o carro neste 2016, o paraibano pagará 25% a mais de IPVA do que em 2015 (a tarifa subiu de 2% para 2,5%). Ao abastecer o carro, a cada R$ 100,00 que pagar pela gasolina, R$ 27,00 vão direto para a conta administrada por Ricardo Coutinho – a tarifa subiu para 27%.

Em caso de doação ou recebimento de bens em razão de morte, o imposto, que era de 4%, agora tem tarifa progressiva e pode chegar a 8%, ou seja, até 100% a mais.

Tudo pesa muito para o povo do Estado que tem o 4° pior PIB per capita do Brasil (é de R$ 11,834, enquanto no vizinho Rio Grande do Norte é de R$ 15,182). Em pior situação do que a Paraíba só Alagoas (R$ 11,296), Maranhão (R$ 9,048) e Piauí (R$ 9,811).

Em meio a grave recessão e queda no emprego, os paraibanos terão R$ 289 milhões a menos para consumir em 2016, mas se depender da Cagepa a conta da água vai subir 22,61%, assim como estão anunciados reajustes para a energia, telefone, gás de cozinha… E 2016 é ano eleitoral – quem não eleger prefeitos não terá bases em 2018. Já pensou se não fosse?

”João Pessoa é uma cidade que precisa pensar grande e necessita de um grande projeto. Para isso, devo me dedicar a esta campanha nos três turnos: manhã, tarde e noite.”

Adeus a Waldir

Morreu um dos políticos mais inteligentes, altivos e bem-humorados da Paraíba, o ex-deputado Waldir dos Santos Lima, aos 81 anos. Durante duas décadas sua voz foi decisiva na Assembleia, que presidiu por duas vezes.

Coragem

Quando a ditadura estava no auge e nomeava de prefeito a presidente, Waldir enfrentou o candidato do general-presidente, Tarcísio Burity, na eleição indireta na Assembleia, como vice do anti-candidato Antonio Mariz.

A marca

Foi bom de discurso e melhor ainda na articulação política. Junto com Edvaldo Motta, Eilzo Mattos (ambos no plano superior) e Ramalho Leite, deu trabalho aos adversários. Usava a sagacidade, nunca a descortesia.

Uma frase

Uma das frases que definem o caráter de Waldir dos Santos Lima: “Só estarei na política enquanto tiver coragem para defender o que acredito, de rejeitar cabresto de quem quer que seja e andar de cabeça erguida”.

Zigue-Zague

O líder da oposição, Renato Gadelha (PSC) vai reunir a bancada antes do fim do recesso na Assembleia para escolha do nome que vai sucedê-lo no cargo.

O rodízio na liderança é fruto de acordo firmado no ano passado. Entre os citados para a posição estão Daniella Ribeiro, Bruno Cunha Lima e Raniery Paulino.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas