Bater, desviar e revidar

0
COMPARTILHE

O governador Ricardo Coutinho usou o Twitter para responder as críticas ao seu Ato Governamental n°5, que impõe desconto de 15% em todos os contratos e até pagamentos devidos por compras de bens e serviços. A oposição considerou a medida como um atestado de que o Estado está quebrado e não tem como honrar os compromissos.

A reação de Ricardo aos que chamou de “o bando do quanto pior, melhor” foi afirmar que “quebrada está a mentalidade dos que querem prejudicar o Estado com mentiras”. E prosseguiu: “Vida longa aos adversários para que possam assistir aos avanços do nosso Estado e do povo, e lembrarem que tiveram a chance e não fizeram”.

A alfinetada final foi dirigida ao senador Cássio Cunha Lima, que acusou-o de não só quebrar o Estado, mas a exemplo da presidente Dilma, repassar a conta para os cidadãos, pois também aumentou impostos. Citou o ICMS e o IPVA, cuja tarifa elevou em 25%.

A resposta a RC foi dada pelo presidente estadual do PSDB, Ruy Carneiro: “Ele ataca quem aponta os problemas, para desviar as atenções da real situação do Estado, que está realmente quebrado”.

Ruy Carneiro cita três pontos que “exigem” respostas do governador: se o Estado está ajustado financeiramente, porque não pagar o contratado? Se o corte de 15% está sendo feito porque há margem nos preços, porque o desconto não foi exigido na assinatura dos contratos? E, por qual motivo excluiu as construtoras, donas dos maiores contratos?

Para Ruy, uma visita ao Portal da Transparência, onde estão os indicadores do Programa de Ajuste Fiscal, derruba o discurso de Ricardo. Dos seis indicadores, a Paraíba tem apenas um sinalizado como “verde” (cumprido), que é o da dívida. Os outros – Resultado primário, Receita de arrecadação própria, outras despesas/RLR, investimentos/RLR e despesas com pessoal/RCL – estão no “vermelho”.

“A folha de pessoal correspondeu em dezembro a 65,37% da receita, muito acima dos limites da LRF”, aponta Ruy, lembrando que, juntos, os entes estaduais (Legislativo, TCE, Judiciário, MP e Executivo) podem despender 60%, mas o único que está fora da lei é o Executivo, que só pode gastar 49% e está em quase 52%. Tem prazo para reduzir e não fazer isso é crime de responsabilidade. “Explica isso, Ricardo”, desafia o tucano.

TORPEDO

O prefeito Cartaxo está inteiramente integrado ao nosso trabalho no Brasil. A vinda dele deu outra dimensão ao partido, sobretudo porque já é hoje um dos gestores mais bem avaliados do país, que chegará à disputa pela reeleição com elevados índices de aprovação.

Do presidente do PSD, Gilberto Kassab festejando Luciano Cartaxo, a quem garantiu vaga no Diretório Nacional do partido.

Hugo x Picciani

A candidatura do paraibano Hugo Motta levou o mineiro Leonardo Quintão a desistir da disputa pela liderança do PMDB na Câmara e anunciar apoio ao maior adversário, o governista Leonardo Picciani.

Estratégia

Agora é Motta contra Picciani, mas ao contrário de Quintão, o paraibano rejeita o rótulo de candidato de oposição. Está fazendo campanha defendendo a unidade do PMDB e dialogando com ministros de Dilma.

Campanha

Hugo Motta tem 25 dias de conversas pela frente. Os 67 deputados do PMDB escolherão o líder sabendo que o governo prefere Picciani, mas não tem nada contra o paraibano, que se manifesta contra o impeachment.

Torcida

Hugo Motta já tem até torcida na Paraíba, e é liderada por Dihêgo Amaranto, presidente da Juventude do PMDB, que aposta n a capacidade de diálogo do paraibano para unir a bancada dividida pelo impeachment.

ZIGUE-ZAGUE

+ Nove deputados federais e dois senadores já confirmaram presenças no almoço no qual jornalistas do Sistema Correio festejarão o aniversário de Edinho Magalhães.

+ Será segunda-feira o encontro de quem é notícia, com os que fazem as notícias. E é Edinho quem, em Brasília, acompanha todos eles. Vai render boas histórias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas