Brasil e Alemanha simplificar?o regras de importa??o e exporta?

3
0
COMPARTILHE

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu, e o ministro de Alimentação e Agricultura da Alemanha, Christian Schmidt, alinharam nesta quinta-feira (20) posições em relação ao acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia, em fase de negociação entre os dois blocos.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

Durante encontro na manhã desta quinta-feira, Kátia Abreu disse que a Alemanha é fundamental para a tomada de decisão europeia sobre o acordo de livre comércio e Schmidt demonstrou ampla receptividade em estreitar as relações comerciais dos dois blocos.

A ministra prevê que, com a efetivação do tratado, as exportações do agronegócio brasileiro cresçam em torno de 20%. Schmidt disse que a Alemanha pretende ser um parceiro de igual para igual. Ele ponderou que a competitividade entre alguns produtos é natural e destacou a importância da redução das tarifas de exportação.

“Sabemos que comércio aberto significa competitividade. Concorrência é uma coisa que sempre vai existir. Queremos ser parceiros de igual importância, e o segredo é a desoneração de taxas aduaneiras e outras taxações”, acrescentou o ministro alemão.

Kátia Abreu pediu apoio alemão ao acordo sanitário e fitossanitário apresentado à União Europeia em maio deste ano. Pela proposta, Brasil e países-membros do bloco europeu vão harmonizar normas de defesa agropecuária, conferindo mais agilidade à burocracia comercial.

Em setembro, os comissários europeus para Saúde e para Comércio virão ao Brasil para desenhar o acordo. “Isso não vai influir em taxas. Continuaremos com as mesmas taxas, mas significa que harmonizaremos procedimentos documentais para exportação e importação”, explicou a ministra da Agricultura.

Schmidt apoiou o pleito brasileiro e disse que levará o assunto ao Ministério da Alimentação e Agricultura da Alemanha e a autoridades da União Europeia. “É importante buscarmos a simplificação nas regras e na legislação para que todos saibam do que se trata”, afirmou o ministro alemão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas