Cagepa ? multada em R$ 3 milh?es por conta de esgoto em praias de Jo?o Pessoa

15
COMPARTILHE

A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) recebeu uma multa de R$ 3 milhões por conta de esgoto lançado em praias de João Pessoa. A multa foi aplicada pela Secretaria de Meio Ambiente (Semam) e Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), da Capital por meio de sete autos de infração contra a Companhia. A Estatal disse que vai tomar medidas para se defender.

Leia também:

Semam diz que água escura que escoa para o mar não é poluída, em João Pessoa

Praia está imprópria para banho em JP, mesmo após Semam dizer que não há esgoto

Internautas dizem que esgoto jorra de galeria em praia de JP; Semam explica vídeos

A PMJP, por meio das duas secretarias, informou que o esgoto foi identificado nas praias de Manaíra e Cabo Branco. No início de janeiro técnicos da prefeitura detectaram derramamento de esgotos dos poços de visita da Cagepa nas praias de João Pessoa, o que gerou sete autos de infração, cada um deles no valor de R$ 452 mil. De acordo com a PMJP, o esgoto que estoura nas ruas escorre para as galerias pluviais, desaguando no mar.

Leia mais Notícias no Portal Correio

Em 2014 a Semam disse que recebeu 625 denúncias de esgoto clandestino. Nesta primeira quinzena de 2016 foram recebidas 91 denúncias. As áreas com maior índice dessa ocorrência são os bairros da praia, Mangabeira e Bancários.

Segundo a análise da Seman, o esgoto, quando é lançado nas ruas e se encaminha para as galerias pluviais, pode provocar uma série de doenças como cólera, diarreia, esquistossomose, entre outros, além de contaminar solo, flora, fauna e a água do mar.

A rede de drenagem de águas pluviais dos bairros da orla deságua no mar. A Seinfra informou que realiza a limpeza e manutenção periódicas dessas galerias. Quando é constatada ligação clandestina a Semam é acionada para que os responsáveis sejam autuados. Em João Pessoa existem galerias pluviais na praias do Cabo Branco, Tambaú e Manaíra.As denúncias de esgoto clandestino devem ser encaminhadas para o telefone 3218 9208, da Semam, entre as 7h e as 22h.

A Cagapa informou que vai se defender administrativamente porque não teria sido notificada antes de ser autuada. A Companhia alegou ainda que não pode se responsabilizar por todos os casos denunciados devido às chuvas e ligações clandestinas.

Veja o vídeo abaixo:

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas