CG terá novo esquema de racionamento mais rigoroso nos próximos dias; vídeo

5
0
COMPARTILHE

Começa nos próximos dias um novo esquema de racionamento de água em Campina Grande e em outras 18 cidades da região. O anúncio foi passado pelos gestores da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), em decorrência na baixa do volume do açude Epitácio Pessoa, conhecido como ‘Boqueirão’. A região da Rainha da Borborema está em racionamento desde dezembro de 2014. Veja vídeo abaixo.

Leia mais Notícias no Portal Correio

Os moradores residentes nas cidades abastecidas pelo açude terão água por três dias e a região será divida em duas zonas com abastecimento alternado. Nos fins de semana, haverá o desligamento total e as cidades ficarão sem água.

Ao Portal Correio, o gerente regional da Cagepa, Ronaldo Menezes, adiantou que a zona 1 receberá água encanada a partir das 5h das segundas-feiras até a meia-noite das quartas-feiras. Já a zona 2 terá abastecimento a partir das 5h das quintas-feiras até as 13h dos sábados. A partir das 13h dos sábados até as 4h59 das segundas-feiras, todas as localidades ficarão sem água.

“É importante ressaltar que o horário em que a água chegará às casas vão sofrer variação em algumas localidades, pois a distribuição depende de condições da rede hidráulica e da tipografia do terreno. Ou seja, imóveis mais próximos ao açude naturalmente irão receber água primeiro que os mais distantes”, destacou.  

A data de início do novo racionamento, bem como a lista de áreas pertencentes a cada zona devem ser divulgados até esta sexta-feira (8), conforme Menezes. Esses detalhes, segundo ele, ainda dependem da aprovação do diretor-presidente da Cagepa, Marcos Vinícius Neves. 

Alerta 

Em entrevista a uma emissora de rádio de Campina Grande, o gerente regional da Cagepa disse que a água acumulada atualmente no açude de Boqueirão garante o abastecimento somente até janeiro de 2017, fator principal que motivou o alerta e o novo racionamento.

A alternância no abastecimento se faz necessária devido à queda da capacidade total do manancial que é de apenas 8,67%, considerado o pior índice registrado desde a fundação do açude, segundo dados da Agência Executiva de Gestão de Águas da Paraíba (Aesa).

A Cagepa informou ainda que o açude não entrou no volume morto, mas a água é monitorada semanalmente; a companhia continua sem confirmar que o reservatório está contaminado, apesar de documentos atestarem o problema. Técnicos coletam água e levam para laboratórios da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), onde especialistas analisam o material.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas