Com três de Paulinho e pintura de Neymar, Brasil goleia o Uruguai

0
COMPARTILHE

No duelo em que se colocou em cheque os 100% de aproveitamento de Tite diante da força uruguaia jogando em casa, coube a Paulinho, o homem de confiança do técnico da Seleção Brasileira, definir em favor do treinador. Com três gols do volante e uma pintura de Neymar, o Brasil derrotou a Celeste, de virada, por 4 a 1, em pleno Estádio Centenário. O resultado praticamente garantiu o Brasil na Copa da Rússia e fez de Tite recordista pela Seleção ao alcançar sete vitórias consecutivas em uma mesma edição das Eliminatórias.

Leia mais notícias de Esportes no Portal Correio

Apoiado por mais de 50 mil torcedores, o Uruguai começou o jogo pressionando e marcando em cima a Seleção Brasileira, até Neymar abafar o ímpeto dos donos da casa com uma arrancada sensacional desde o campo defesa. Ele avançou em velocidade e tocou na direita para Coutinho, que cruzou rasteiro, preciso, mas Firmino furou dentro da pequena área, de frente para o gol.

O castigo pela chance desperdiçada veio de imediato. Em bola alçada na área brasileira, Marcelo tentou recuar de peito para Alisson, mas Cavani se antecipou e foi derrubado pelo goleiro dentro da área. O árbitro marcou pênalti, o próprio Cavani bateu e converteu. Foi o nono gol dele nas Eliminatórias, artilheiro isolado da competição.

O gol colocou o time de Tite em uma situação inédita. Desde que o técnico assumiu a seleção, o Brasil não saía em desvantagem em uma partida. Por isso, na beira do campo, o treinador pedia calma e toque de bola aos jogadores brasileiros.

A resposta veio tão rápida quanto o castigo pela trapalhada de Marcelo e Alisson. Após erro de passe do Uruguai no meio de campo, Neymar tocou para Paulinho e o volante soltou uma patada, de longe, no ângulo esquerdo de Martín Silva. Golaço!

Com espaço e mais posse de bola, a Seleção Brasileira passou a ficar mais tempo no campo de ataque. Aos 31 minutos, em outra boa chegada de Neymar, quase marcou o segundo. O camisa 10 cobrou falta na entrada da área, a bola bateu na barreira e, na sobra, Daniel Alves lançou para área. Casemiro matou no peito, chutou cruzado, mas Martín Silva defendeu com o pé e a bola bateu em Maxi Pereira antes de sair.

No início segundo tempo, Paulinho mostrou outra vez porque é mais do que o homem de confiança de Tite em campo. A jogada começou com Firmino. Ele recebeu na entrada da área, girou e chutou rasteiro. Martín Silva fez boa defesa, espalmou, mas Paulinho chegou no rebote para virar a partida e marcar o nome dele no clássico: 2 a 0 Brasil, dois gols de Paulinho.

O terceiro da Seleção foi uma pintura. Depois de um chutão de Miranda para afastar o perigo na defesa, Neymar ganhou de Coates lá na frente e, com um toque de classe, encobriu Martín Silva para fazer um golaço.

Mas a noite era mesmo de Paulinho. Quando o jogo caminhava para o fim ele cravou de vez seu nome na história do clássico. Daniel Alves recebeu na direita, fez o cruzamento e achou o volante livre na pequena área para empurrar com o peito e fazer o terceiro gol dele na partida. Histórico. Goleada. Brasil 4 a 1 no Uruguai em pleno Centenário. José Paulo Bezerra Maciel Junior agora faz parte da galeria encabeçada por Alcides Ghiggia.

Na terça-feira (28) o adversário do Brasil será o Paraguai, na Arena Corinthians, às 21h45 (horário de Brasília). Daniel Alves, que recebeu o terceiro cartão amarelo, está suspenso e Fagner entrará no lugar dele. No mesmo dia, o Uruguai visita o Peru, em Lima, no Estádio Nacional.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas
páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no
Youtube. Você também
pode enviar informações à Redação
do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas