Comerciantes ocupam cal?ada de shopping popular e querem impedir interdi??o do pr?dio

16
COMPARTILHE

Um grupo de comerciantes que trabalha no shopping popular Edson Diniz, em Campina Grande, ocupou as calçadas do prédio na manhã desta terça-feira (26). O ato acontece em protesto à interdição do local, realizada pelo Corpo de Bombeiros. A associação que administra o shopping popular disse que pretende acionar a justiça para barrar a ação. O bloqueio da área foi anunciado na manhã dessa segunda-feira (25) e acontece devido ao risco de incêndios no local.

Leia mais Notícias no Portal Correio

A interdição atingiu os quatro pavimentos do shopping popular e o comércio na área fica totalmente suspenso a partir desta terça-feira. De acordo com a comandante do Corpo de Bombeiros, major Anuska Macedo, o prédio só será liberado depois que a prefeitura executar o projeto de prevenção a incêndios e o local passar por nova vistoria do Corpo de Bombeiros.

Na tarde dessa segunda-feira (25), a prefeitura de Campina Grande informou que vai contratar uma empresa para substituir toda rede elétrica do shopping.

Riscos

O motivo da interdição é o não cumprimento de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado pela prefeitura de Campina Grande em fevereiro de 2014, depois que foi registrado um incêndio no local. Na ocasião, 10 lojas foram destruídas.

Segundo a major Anuska Macedo, o projeto de prevenção de incêndios apresentado pela prefeitura ao Corpo de Bombeiros recebeu aprovação, porém não foi executado. O projeto prevê a restauração de toda a parte elétrica do shopping e o cumprimento de todas as normas de segurança, como instalação de extintores e saídas de emergência.

Ainda conforme o Corpo de Bombeiros, o risco de incêndio na área é considerado altíssimo e vários princípios de fogo foram registrados ao longo do ano passado.

Atualmente, cerca de 300 comerciantes trabalham no shopping popular. 

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas