Comiss?o do Senado aprova convoca??o do presidente do TCU

33
COMPARTILHE

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado aprovou nesta terça-feira (14) a convocação do presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Aroldo Cedraz, para prestar esclarecimentos sobre o julgamento das contas do governo. O requerimento de convocação foi formulado logo após o presidente da CAE, senador Delcídio do Amaral (PT-MS), informar que o presidente do TCU não irá participar de debate sobre as contas do governo.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

Segundo Delcídio, Cedraz encaminhou à comissão uma carta em que informou que não compareceria ao debate sob a justificativa de que ainda aguarda a manifestação do governo sobre o julgamento das contas, em análise pelo tribunal. A ausência do presidente do TCU provocou revolta de vários senadores.

“Essa carta do presidente do TCU é inaceitável e desrespeitosa. Vamos analisar com a nossa assessoria para tomar as providências jurídicas. O TCU é um órgão auxiliar desta Casa e ele desconhece as regras da Casa que ele preside. Ele não está preparado para ser presidente do TCU”, disse o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE).

“Essa carta não tem sentido. Vamos apresentar requerimento de convocação para que ele venha se explicar aqui,” acrescentou o senador Lindbergh Farias (PT-RJ). Em seguida, o líder do governo no Congresso, senador José Pimentel (PT-CE), apresentou requerimento de convocação, que foi aprovado por unanimidade.

No último dia 17, o TCU adiou por 30 dias o julgamento das contas de 2014 do gestão da presidente Dilma Rousseff. O governo tem até o dia 22 deste mês para explicar pontos questionados pelo TCU, responsável pela análise das contas do Executivo. O ministro Augusto Nardes pediu explicações sobre indícios de irregularidades apontadas pelo tribunal, por descumprimento das leis de Responsabilidade Fiscal e Orçamentária Anual.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas