Corpos da família paraibana morta na Espanha são cremados; cinzas vêm para João Pessoa

8
0
COMPARTILHE

Os corpos da família paraibana morta na cidade de Pioz, na Espanha, em setembro deste ano, foram cremados na manhã desta sexta-feira (23), em um crematório de Guadalajara, cidade espanhola. A informação foi confirmada ao Portal Correio por Wolfran Campos, parente das vítimas. O caso aconteceu em agosto e François Patrick, autor confesso da chacina, está preso. O estudante Marvin Correia, suspeito de ter participação na morte de uma das vítimas, foi indiciado e está em liberdade condicional usando tornozeleira eletrônica.

Leia também: Liberados corpos de família da PB morta na Espanha; cremação é nesta quinta

“Primeiro corpo a ser cremado foi de Janaína, seguido de Marcos e depois as crianças. A cremação aconteceu em Guadalajara. As urnas com as cinzas deverão chegar aqui em João Pessoa nos próximos dias. Pode acontecer que o voo trazendo os restos mortais chegue na Paraíba no domingo, mas tudo vai depender da documentação da Espanha”, explicou Campos.

Leia mais Notícias do Portal Correio

Após as cinzas chegarem no aeroporto Castro Pinto,na Região Metropolitana de João Pessoa, as urnas funerárias com as cinzas das quatro vítimas vão ser transportadas até o cemitério Parque das Acácias, onde permanecerão sendo veladas por cerca de três horas antes do sepultamento, dentro de um só caixão, em um mesmo túmulo.

O caso

Com exclusividade, o programa Cidade Alerta, da TV Correio, exibiu uma série de mensagens trocadas por Patrick Gouveia e Marvin Correia, suspeito de passar orientações e comentar as etapas do crime com o suspeito.

Nas imagens, Patrick se mostra inseguro com a ocorrência, dizendo ter sofrido de ansiedade, com dúvidas quanto à ocultação dos cadáveres e descrevendo métodos para esconder a autoria do crime: “Ao menos fiz tudo de luva. Não tem impressões”. Ele ainda revela apreensão ao aguardar a chegada da última vítima, Marcos Campos: “Agora só falta eu falhar matando esse merda. Aí a casa cai. Acho que vou vazar de madrugadona”.

O interlocutor Marvin, por sua vez, questiona para onde Patrick fugiria e o alerta sobre câmeras e condutas suspeitas: “E você vai vazar pra onde? Tem câmera em algum lugar?” Ele ainda complementa: “Sai despercebido daí. […] Sai pela frente mesmo, de manhã, como se fosse caminhar ou algo do tipo, sei lá. De madrugada pode parecer suspeito”.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas