Decis?o do TCU sobre contas de 2014 deve valer para o futuro, diz Eduardo Braga

29
COMPARTILHE

O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, disse nesta sexta-feira (14) que o seu partido, o PMDB, não defende o impeachment da presidente Dilma Rousseff, e sim uma agenda de retomada do crescimento para o país. O ministro defendeu que o que for definido pelo Tribunal de Contas da União (TCU) no julgamento das contas governamentais de 2014 tenha validade para frente.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

“As pessoas que não querem discutir isso pelo viés político e emocional sabem que qualquer decisão que o tribunal tomar tem que ser para frente”, disse. “O Brasil tem maturidade democrática para fazer o ajuste na legislação e na contabilidade”.

Braga se considera otimista em relação ao setor elétrico e às expectativas do Brasil depois da Operação Lava Jato. “Creio que estamos passando por um ajuste, um ajuste importante, e o Brasil sairá mais robusto da Lava Jato. Essa é a minha percepção”, disse.

“Teremos maior transparência e mais compliance [conjunto de regras para evitar desvios] nas contas públicas e nas contas das empresas de economia mista e públicas. Isso tudo vai trazer uma melhora significativa na gestão pública do país. E essa questão do Tribunal de Contas da União se insere nesse contexto”, disse.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas