Desperd?cio de ?gua encarece conta e prejudica abastecimento; Cagepa orienta pelo Facebook

22
0
COMPARTILHE

As redes sociais já estão entre os espaços preferidos para conscientizar e divulgar dicas de economia de água em tempos de escassez. Com um índice de desperdício que chega a quase 40% no estado, a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) usa o Facebook para lembrar que hábitos simples como lavar o carro com um balde e uma flanela economiza até 300 litros de água.

Leia também:

* Estudo diz que desperdício de água foi de 36,2% na PB e de 40% em JP, em 2013

* Campina Grande registra desperdício de água, mesmo em fase de racionamento

A diminuição da disponibilidade de água para o consumo humano no planeta e o agravamento do problema da escassez de chuvas tem feito com que as campanhas sejam cada vez mais necessárias.

Leia mais Notícias no Portal Correio

De acordo com o assessor de Comunicação e Marketing da Cagepa, Fábio Bernardo, as redes sociais vêm sendo utilizadas diariamente para conscientizar a população. “É importante lembrar que, além de usar a água de forma racional, o consumidor estará também pagando menos pela conta”, reforçou.

Além de dicas, os internautas também são alertados para as condições dos mananciais que abastecem as cidades do interior do estado, que estão com níveis muito baixos e sem perspectiva de mudança no cenário, pois as chuvas dos últimos anos vieram escassas e mal distribuídas.

Cagepa usa o Facebook para conscientizar a população

Foto: Cagepa usa o Facebook para conscientizar a população
Créditos: Reprodução/Facebook/Cagepa

Companhia diz que população deve comunicar vazamentos à Cagepa

Foto: Companhia diz que população deve comunicar vazamentos à Cagepa
Créditos: Reprodução/Facebook/Cagepa

Canos estourados

A conscientização da população para o bom uso da água ajuda no combate ao desperdício mas a Cagepa enfrenta ainda outro problema considerado inevitável por Fábio Bernardo, que é o encanamento envelhecido. Esse é o principal motivo dos casos de problemas na rede de abastecimento. As tubulações antigas acabam rompendo, fazendo com que a água potável jorre e escorra pelas ruas.

Para evitar esse tipo de desperdício, Fábio disse que existe uma determinação para que a manutenção seja feita o mais rápido possível, num prazo máximo de 12 horas.

“Temos que tomar conhecimento o mais breve possível, por isso é importante que a população entre em contato conosco o mais rápido e quando fizer a denúncia pelo telefone 115 anote o número do protocolo”, pediu.

De acordo com ele, o número do protocolo é importante pois é a prova de que a Cagepa foi avisada. “Com isso, poderemos analisar o trabalho da equipe de manutenção. Porque algumas pessoas denunciam na imprensa, mas não o fazem antes à Cagepa, para que num prazo mais rápido possível façamos o reparo”, reforçou.

Ele informou que os casos em que o atendimento de reparo demora mais de 12 horas são aqueles que acontecem em vias expressas, nas cidades maiores. Nesses locais, a empresa necessita do apoio das superintendências de trânsito e essas, segundo Fábio, geralmente orientam para que a manutenção seja feita somente à noite ou durante a madrugada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas