Em congresso do PT, Dilma defende ajuste fiscal e pede apoio de militantes

12
COMPARTILHE

A presidente Dilma Rousseff disse na noite de nesta quinta-feira (11), durante a abertura do 5º Congresso Nacional do PT, que o governo teve a coragem de fazer os ajustes fiscais e pediu aos militantes que apoiem as medidas e ajudem a defender sua gestão de críticas. Segundo Dilma, as mudanças na economia não reduzem o compromisso do governo com as causas defendidas historicamente pelo partido.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

O ajuste fiscal, idealizado pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, foi alvo de críticas internas no PT e algumas medidas tiveram votos contrários de deputados e senadores do partido quando passaram pelo Congresso Nacional.

“Esse é o momento para dizermos que nós somos um governo que tem a coragem de realizar ajustes e que faz esses ajustes para dar sustentabilidade, continuidade, perenidade e fazer avançar o projeto de desenvolvimento, de mudanças, que adotamos desde 2003”, disse a presidente, que desembarcou em Salvador para o congresso após viagem de dois a Bélgica, onde participou da 2ª Cúpula dos Estados Latinos Americanos (Celec) e União Europeia.

Dilma reiterou aos militantes do partido o discurso que tem feito nos últimos dias de que as medidas do ajuste fiscal vão garantir a estabilidade da economia e a retomada do crescimento. “Eu vim para assegurar a cada militante petista que temos uma agenda forte, consistente, de medidas, que vão garantir a retomada do crescimento, a continuidade e o avanço do processo de inclusão, de ascensão social do nosso povo.”

A presidente reconheceu que as críticas internas são “necessárias”, mas pediu apoio dos militantes e disse que precisa do partido ao seu lado. Segundo Dilma, os defensores do PT precisam estar municiados contra os que torcem pelo fracasso do governo.

“Todos que estão aqui compartilham essa vontade de transformar o Brasil. Para alcançar isso, precisamos caminhar juntos e firmes. Preciso de cada um de vocês, de toda força que vocês podem me dar, estando ao meu lado”, pediu.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas