Entenda o que é e como tratar ‘Dor do Crescimento’, comum entre crianças

61
COMPARTILHE

A Dor do Crescimento, também chamada de Síndrome de Peter Pan, é uma doença muito comum, mas pouco conhecida, que costuma preocupar os pais. Ela geralmente acomete crianças de vida sedentária, tendo prevalência em meninas na faixa etária de 3 e 13 anos de idade.

Leia mais Notícias no Portal Correio

As causas da Dor do Crescimento não são totalmente conhecidas já que não se pode afirmar com certeza que o desenvolvimento de ossos e músculos seja dolorido. Cientificamente não há comprovação de suas causas, mas se admite algumas hipóteses para explicá-las: fadiga muscular, ou seja, uso excessivo da musculatura das pernas; deficiência de vitamina D; e adaptações anatômicas para compensar o desequilíbrio entre o desenvolvimento dos ossos, tendões e músculos.

Os sintomas são bilaterais, ou seja, acomete os dois membros. É comum surgirem à noite ou durante a madrugada e se apresentarem nas pernas: face anterior das coxas, face anterior das tíbias e nas panturrilhas. Também podem ser verificados vermelhidão, inchaço ou calor local, ambas não acompanhadas de reação inflamatória.

A diretora geral do Hospital do Valentina, Carmen Gadelha, que é destinado exclusivamente ao atendimento de crianças e adolescentes, acalma os pais afirmando que não há necessidade para maiores preocupações já que, na maioria na maioria dos casos, a dor tem caráter benigno, ou seja, não representa algo sério.

“O pediatra deve realizar um bom exame clínico, para que se afastem patologias traumáticas e reumáticas e para que se possa também avaliar as compensações anatômicas e ortopédicas que o corpo da criança passa. É importante entender que a infância e adolescência é um período em que se tem grande atividade metabólica, objetivando um bom crescimento físico e bom desenvolvimento dos sistemas orgânicos preparando um corpo forte e capaz para iniciar a idade adulta”, ressalta.

Onde encontrar tratamento

As Unidades de Saúde da Família (USF) e outras unidades públicas de atenção à saúde, são as portas naturais do Sistema Único de Saúde (SUS). As Unidades de Pronto Atendimento (UPAS) também possuem pediatras ou os hospitais da Rede Municipal de Saúde, onde os casos suspeitos serão encaminhados para um ortopedista pediátrico da Prefeitura.

Cuidados

As dores tendem a ceder com as simples massagens no local. Também é indicada a prática de atividades físicas, desde que bem orientadas e na medida certa. Carmen Gadelha, que também é membro efetivo da Sociedade Paraibana de Pediatria, alerta que outras situações que podem causar dores nos membros.

“É preciso enfatizar que as adaptações dos quadris e coluna que são decorrentes de acomodação fetal, e se apresentam como escolioses; esses casos o pediatra consegue identificar com facilidade e encaminhar ao ortopedista para que se tomem os devidos cuidados”, lembra.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078. 

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas