Palmeiras perde nos pênaltis e é eliminado da Copa Libertadores

Jaílson chegou a dar sobrevida, mas Egídio errou cobrança decisiva

Futebol | Em 10/08/17 às 10h27, atualizado em 10/08/17 às 10h34 | Por Redação, com R7
Divulgação / Reuters
Palmeiras foi eliminado nos pênaltis

O Palmeiras sabia que entraria em campo na noite desta quarta-feira (9) para o jogo do ano. Só não sabia que seria diante de tanto drama. O time venceu por 1 a 0 no tempo normal, mas perdeu nos pênaltis por 5 a 4 para o Barcelona de Guayaquil-EQU, em pleno Allianz Parque. Jaílson chegou a dar sobrevida nas penalidades, mas Egídio perdeu no fim e o Verdão caiu nas oitavas de final. Comente no fim da matéria.

Leia mais notícias de Esportes no Portal Correio

Jaílson esteve perto de escrever de vez seu nome na história do Palmeiras. Assim como Marcos e Fernando Praas, pegou o pênalti do camisa 10 Damián Díaz. Só não contava com os erros de Bruno Henrique e Egídio já nas alternadas.

Na próxima fase, a equipe equatoriana tem novamente uma brasileira pela frente e pega quem avançar de Santos e Atlético-PR. Os dois times se enfrentam nesta quinta, na Vila Belmiro. As datas das quartas ainda não foram confirmadas pela Conmebol.

O primeiro sinal de que as coisas não seriam fáceis veio depois de um lance aparentemente bobo, quando os equatorianos arriscavam pouco e amarravam o jogo. Aos 37 minutos do primeiro tempo, o zagueiro levou um pisão no pé esquerdo e teve de ser substituído. Edu Dracena entrou.

Insatisfeito com o primeiro tempo, Cuca colocou Moisés no lugar de Róger Guedes logo no intervalo. Deu muito certo. O camisa 10 enfiou uma bola para Dudu e apareceu na área para dar um lindo corte em Caicedo e chutar no fundo do gol de Banguera. Nem com o gol pareceu que o Verdão iria deslanchar no placar. A torcida empolgou, mas não conseguiu transformar o Allianz Parque em um temido caldeirão.

Como não seria mesmo nada tranquilo, Jonatan Álvez ainda acertou a trave. Pouco tempo depois, Keno fez o mesmo. O ritmo só não foi mais o mesmo porque Dudu, o motor do time, saiu machucado — o que também fez falta na decisão por pênaltis. Guerra entrou bem, mas sem nem metade da velocidade contra um time que corria contra o tempo. Foi o bastante para o time perder padrão tático e se perder em chutões. Os pênaltis estavam traçados. A confiança em Jaílson foi toda depositada e o goleiro fez sua parte. Ainda não perdeu com a camisa do Palmeiras.

Guerra, Tchê Tchê, Keno, Moisés converteram suas cobranças. Do outro lado, Jonatan Álvez, Matías Oyola, Castillo, Marcos Caicedo e José Ayoví fizeram a festa para tristeza da torcida palmeirense.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

Atenção

Fechar