Estado não garante pagar dentro do mês trabalhado, admite secretária de Administração

18
COMPARTILHE

A secretária da Administração do governo, Livânia Farias, não garantiu o pagamento dos salários dos servidores do dentro do mês trabalhado, até o fim do ano. “Não tem como se ter a clareza e a certeza de que vai estar em dia”, afirmou em entrevista ao programa ‘Correio Debate’, da rádio 98 FM Correio, em João Pessoa, nesta quinta-feira (16)


Leia mais notícias de Política no Portal Correio

Livânia reconheceu que o Estado já ultrapassa o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal para a folha de pessoal, que é de 46,55%. A secretária também afirmou que, na atual situação, o governo descarta a realização de concurso público para a contratação de novos servidores.

A secretária de Administração culpou a instabilidade econômica do País e disse que a situação se repete em quase todos os Estados. Em fevereiro deste ano, 20 Estados brasileiros já estavam acima dos limites estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal ao longo de 2015. A Paraíba, até então, não estava nessa lista.

Livânia Farias enfatizou que nenhum Estado tem como garantir o pagamento dos servidores dentro do mês trabalhado. “Não tem como o governador Ricardo Coutinho ter essa clareza, porque os números de arrecadação são variáveis, isso faz parte da economia que o País está vivendo”, explicou.

A Lei de Responsabilidade Fiscal prevê uma série de restrições a quem ultrapassa os limites do comprometimento da receita. No caso de gasto com pessoal, o Estado fica impedido de fazer contratações. Se não houver uma melhora nas contas em oito meses, as transferências federais podem ser cortadas. Novos empréstimos também são barrados e as contas do governo podem ser rejeitadas, o que provocaria a inelegibilidade do gestor.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

 

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas