‘Estou arrependido e sofrendo’, diz suspeito de matar vigilante

Segundo a polícia, mesmo após o crime, a dupla continuou praticando assaltos na Capital

8767
COMPARTILHE

“Estou arrependido. Estou sofrendo. Peço desculpa, não queria atirar em ninguém não”. Foi dessa maneira que o suspeito de atirar e matar o segurança Fábio Alves, de 38 anos, confessou o crime, na manhã desta terça-feira (26), na Central de Polícia Civil, em João Pessoa.

O vigilante foi morto durante um assalto ocorrido no dia 1º de setembro em frente a uma escola particular do Bairro dos Estados, Zona Norte de João Pessoa.

Segundo a polícia, o suspeito confessou que atirou e disse que a arma disparou após ele ter sido alvo da reação do segurança. Ainda segundo a polícia, mesmo após o crime, a dupla continuou praticando assaltos na Capital.

O vigilante Fábio Alves foi baleado no início da manhã do dia 1º de setembro, quando tentou impedir que um homem assaltasse a mãe de uma aluna, que chegava para deixar a filha na escola em que o segurança trabalhava, na Capital.

Ao ver o assalto e o desespero, tanto da mãe quanto da criança, Fábio correu por trás do assaltante e tentou imobilizá-lo, mas não conseguiu. Em meio à luta corporal, o homem, que tinha um revólver na mão, apontou a arma para traz e atirou, acertando a cabeça do segurança, que caiu desacordado.

Socorrido para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, o segurança ainda passou por uma cirurgia, mas não resistiu aos ferimentos e morreu horas depois.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas