Ex-prefeitos sob investigação

10
0
COMPARTILHE

Enquanto aguardamos o levantamento do sigilo da delação do executivo João Pacífico, responsável pelas operações da Odebrecht no Nordeste – sua lista para a Lava Jato incluiria os principais mandachuvas da política regional – nos surpreendemos com as descobertas da Operação Andaime, que também apura corrupção e no momento está focada na cidade de Cajazeiras e nas gestões de 2008 a 2016.

Nesse período, foram prefeitos Carlos Antonio Araújo de Oliveira, Leo Abreu, Carlos Rafael Medeiros de Sousa e Denise Albuquerque de Oliveira. Segundo informações, todos foram visitados pela Polícia Federal, que fez quatro prisões preventivas e uma temporária, 12 conduções coercitivas e executou 22 mandatos de busca e apreensão, além de sequestro de bens móveis e imóveis.

Pelo que já descobriu a Andaime, cuja força-tarefa reúne MPF, PF, CGU e MPPB, muitas das práticas que conhecemos através da Lava Jato, realizadas em grande escala na Petrobras, na Eletrobras, no governo do Rio de Janeiro… foram replicadas no nível municipal.

As investigações, que começaram em 2015, constataram fraude em licitações, desvio de recursos públicos, lavagem de dinheiro por empresas fantasmas, e até venda de notas fiscais frias. Essas condutas foram constatadas em obras que envolvem R$ 27 milhões, especialmente com recursos oriundos dos Ministérios das Cidades e Turismo.

O MPF pediu à Justiça o levantamento do sigilo dessa operação, mas não foi atendido. O “segredo de justiça” protege, por enquanto, os presos e demais envolvidos, mas a ação da força-tarefa já serve de aviso para os novos gestores, para que observem os limites da lei.

Em Cajazeiras estão na mira políticos poderosos. Na região de Patos, ocorreu o mesmo, por conta de beneficiamento de empresas em licitações. E empresários presos confessaram tudo. Antes, tivemos a operação do MPPB que revelou devios de recursos a partir de shows.

A corrupção é uma doença grave, mas pode ser controlada. A vigilância da CGU em relação a aplicação dos recursos federais e a disseminação de práticas de acompanhamento de gestões pelos órgãos especializados, como o TCE, estão fazendo a diferença. Os cofres públicos devem bancar a saúde e a educação, não o enriquecimento ilícito de políticos.

TORPEDO

Enfim vamos virar essa página e partir para uma nova etapa de mais desenvolvimento econômico no Nordeste, principalmente no semiárido que sofre com a seca no seu cotidiano ao longo dos anos.

De Cássio Cunha Lima, sobre a inauguração, pelo presidente Temer, de estação de bombeamento da transposição que garantirá água a Paraíba.

Dureza

A anuidade subiu e é uma das mais caras do Brasil, inadimplentes não têm acesso aos computatores das Salas dos Advogados e diretores foram excluídos da organização da Conferência Estadual. Há confronto na OAB.

Crítica

Carlos Frederico, que disputou a presidência com Paulo Maia, diz que a OAB Paraíba “oprime os advogados, principalmente aqueles que mais precisam”. Considera insensibilidade vetar o acesso em tempos de crise.

Disputa

E como Paulo Maia estaria articulando sua reeleição, o que seria quebra de promessa de campanha, até aliados estão reagindo contra sua gestão, a exemplo de Raoni Vita e Carlos Fábio Ismael, que pregam renovação.

Artilharia

Para o conceituado Roosevelt Vita, uma “marcha ré” seria “traição”. E adianta: “O mais é diversionismo midiático para justificar o injustificável descompromisso moral com a carta programa da eleição, agora rasgada”.

ZIGUE-ZAGUE

A bancada federal da Paraíba vai acompanhar o presidente Michel Temer na visita as obras da transposição, segunda-feira. O roteiro começa em Floresta (PE).

Na agenda do ministro Helder Barbalho (Integração) consta vistoria nas barragens de Porções e Camalaú, já na Paraíba, e evento na Fiep, em Campina Grande.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas