Falta de sensibilidade

10
0
COMPARTILHE

O deputado federal Manoel Junior (PMDB) bem que tentou, mas não conseguiu incluir no semiárido municípios paraibanos localizados na região do Agreste (também conhecida como Brejo), tida como uma das que mais são contempladas com chuvas, o que não é verdade nos dias de hoje, com as inconstâncias da natureza em relação ao clima.

Não conseguiu porque a presidente da República vetou uma emenda do dele em um projeto que interessa ao Governo Federal. Manoel Junior disse ser lamentável a decisão da presidente Dilma Rousseff de vetar sua emenda à Medida Provisória (MP) 668 que beneficiaria vários municípios paraibanos com mais recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE).

Como relator da MP, o parlamentar elaborou a emenda para incluir os municípios localizadas no Agreste da Paraíba na área de atuação da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), o chamado “polígono das secas”.

“Lamento profundamente a insensibilidade do Governo Federal com a região Nordeste, que sofre com a seca, em especial com os municípios da região semiárido”, declarou Manoel Junior. O parlamentar afirmou que não vai desistir e que reapresentará a mesma emenda nas Medidas Provisórias 677 e 678.

Os municípios da Paraíba que ficam prejudicados com o veto da presidente Dilma Rousseff são os seguintes: Alagoa Grande, Alagoa Nova, Alagoinha, Araçagi, Areia, Belém, Borborema, Cuitegi, Duas Estradas, Guarabira, Juarez Távora, Lagoa de Dentro, Massaranduba, Matinhas, Mulungu, Pilões, Pilõezinhos, Pirpirituba, Serra da Raiz, Serra Redonda, Serraria, Sertãozinho. Municípios do Estado de Alagoas também seriam contemplados com a emenda.

De acordo com o parlamentar, a presidente da República simplesmente ignorou as necessidades do povo que mora nesses municípios paraibanos afetados pela falta de chuvas.

Se a emenda apresentada por Manoel Junior tivesse sido acatada pela presidente Dilma, “todos essas municípios seriam incluídas na região do semiárido nordestino atendido pela Sudene”. “Desta forma, as prefeituras poderiam atrair mais recursos para os seus habitantes. A presidente vetou a emenda para não aumentar as despesas do FNE”, declarou Manoel Júnior, revoltado com a falta de sensibilidade da presidente. (Adelson Barbosa dos Santos)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas