Fiscaliza??o interdita duas farm?cias de Jo?o Pessoa ap?s achar irregularidades

16
COMPARTILHE

Duas farmácias de João Pessoa foram interditadas nesta sexta-feira (29) por problemas com documentação e armazenamento de remédios. A interdição ocorreu por meio de uma operação do Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério Público (MP-Procon).

Leia também: MP-Procon pede suspensão na venda de 42 medicamentos por risco à saúde; veja lista

Foram interditadas a Drogaria do Extra e a Farmácia Fácil Rick Center, situadas na Avenida Epitácio Pessoa. A fiscalização foi coordenada pela vice-diretora do MP-Procon a promotora de Justiça Priscylla Maroja. “Não apresentaram à gerencia de Vigilância Sanitária de João Pessoa, a licença sanitária e nem o documento de Autorização de Funcionamento da Empresa (AFE), documentos essenciais. Além disso a gerência sanitária ter verificado condições inadequadas de armazenamento de medicamentos”, disse Priscylla.

Ela informou ainda que foi encontrado neste estabelecimento um medicamento com saída para venda no dia 8 de dezembro de 2015, após a data da expedição da resolução que proíbe a comercialização do produto (Livalo 2mg, do laboratório Eli Lilly), emitida no dia 1º de dezembro de 2015. Segundo ela, também foram encontrados três produtos de higiene pessoal vencidos, além não apresentarem ainda o Certificado de Segurança do Corpo de Bombeiros.

Já na Farmácia Fácil Rick Center, o MP-Procon disse que não havia farmacêutico de plantão. “Sem a presença do farmacêutico não podemos realizar inspeção”, disse a representante da vigilância Sanitária e João Pessoa, Eliane Fernandes Gonçalves.

Também foram fiscalizadas as farmácias Globo e Permanente, nos Bancários, a Farmácia Pague Menos, em Intermares, e a RedeMed, em Cabedelo, mas não foram encontrados problemas em nenhuma delas.

A Drogaria do Extra informou em nota que está trabalhando em conjunto com os órgãos públicos no intuito de atualizar a documentação solicitada para assim, realizar a reabertura da unidade. A rede informa ainda que o fato é pontual e não condiz com o padrão de operação exigido pela companhia e os produtos indicados pelos órgãos foram imediatamente descartados e já estão sendo tomadas as providencias cabíveis para que o fato não volte a ocorrer.

A Farmácia Fácil Rick Center foi procurada pelo Portal Correio, mas os telefones não foram atendidos.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas