Gestor diz que sem roubos prefeituras teriam dinheiro sobrando na PB

10
0
COMPARTILHE

“Se não levar (dinheiro público) para casa, dá para fazer muitas coisas e ainda sobra”. A declaração foi dada pelo prefeito de São Bento, Jarques Lúcio (DEM), em visita à redação do Correio, na semana passada.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

Sem muito rodeio, Jarques foi direto ao assunto. Disse que herdou uma dívida de R$ 80 milhões, deixada pelo ex-prefeito. Pior: segundo ele, o antecessor limpou duas contas de convênios federais, onde estavam depositados R$ 1,6 milhão.

A primeira conta, conforme o prefeito, tinha R$ 1,2 milhão em recursos federais destinados ao término das obras de um hospital iniciado em 2001, pelo governo do Estado, mas que hoje está sob a responsabilidade da Prefeitura.

“O dinheiro (do hospital) estava embargado. Ninguém poderia mexer nele. Mas, na segunda-feira, dia 2 de janeiro, fiquei surpreso quando fui ao Banco do Brasil de São Bento consultar nas contas da Prefeitura Municipal. Na conta embargada só havia R$ 200. Passaram a mão no dinheiro do convênio”, disse Jarques.

Em outra conta, segundo ele, deveria estar a importância de R$ 400 mil. O dinheiro, fruto de um convênio com a Fundação Nacional de Saúde (Funasa), seria destinado à construção de casas de alvenaria, em substituição a casas de taipa, com a finalidade de combater o barbeiro, inseto transmissor da doença de Chagas.

O prefeito de São Bento, reforçando que nenhuma casa foi constrída. Ele disse que comunicou o sumiço do dinheiro ao juiz da Comarca e ao Tribunal de Contas do Estado (TCE). Ele contou que também pediu audiências ao Ministério Público Federal (MPF) e à Controladoria Geral da União (CGU) e Tribunal de Contas da União (TCU) para formalizar denúncias sobre o desaparecimento dos recursos federais que deveriam ser aplicados na conclusão do hospital e na construção de casas.

Segundo ele, não se justifica o caos administrativo deixado pelo ex-prefeito. Para o prefeito, “a população não merece o presente de grego deixado”. Ele disse que terá dificuldades, mas que ele vai trabalhar quatro anos para resolver todos os problemas herdados.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas