Gestores denunciam desaparecimento de equipamentos em prefeituras da Grande JP

11
0
COMPARTILHE

Os prefeitos de Bayeux, Berg Lima, e de Alhandra, Renato Mendes, denunciaram, nesta quarta-feira (4), o desaparecimento de equipamentos pertencentes aos Municípios.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

Em Alhandra, foi constatado que todos veículos da frota municipal estavam sem estepes e alguns sem bateria ou com o motor batida. Também foi verificado que alguns veículos não tinham documentação, além de outros problemas. Na avaliação do prefeito, a frota está “completamente sucateada e em alto estado de depreciação”. Renato Mendes informou que vai acionar a Polícia Civil para que o sumiço dos equipamentos seja investigado.

“Levaram rodas, macacos, para-brisa de carros quebrados e muitas peças da frota. É lamentável chegar à prefeitura de Alhandra e encontrar um descaso. A população precisa tomar conhecimento da sucata que encontramos no município. Ao invés de começar uma gestão, estamos começando a recuperação de um desmando que encontro na cidade neste momento”, lamentou Renato Mendes.

A vistoria na garagem faz parte de uma série de inspeções que o prefeito iniciou nesta terça e que seguirá por todas as secretarias da prefeitura. Um relatório será elaborado sobre a situação encontrada nas pastas que servirá para traçar planos para recuperação do governo municipal.

Em Bayeux, o prefeito Berg Lima verificou falta de equipamentos e problemas na estrutura física da Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Segundo a diretora da unidade, Ludmila Cardoso, levantamento feito por funcionários mostrou que alguns materiais desapareceram, incluindo computadores, birôs, aparelhos de ar condicionado, monitores cardíacos, aparelhos de eletrocardiograma e remédios.

Conforme Ludmila, os equipamentos não foram tombados, por isso a dificuldade de encontrá-los. “Sem realizar um tombamento fica quase impossível saber onde esses equipamentos foram parar. Os próprios funcionários registraram no livro de ocorrência o desaparecimento desses materiais”, disse.

Para Berg Lima, a situação é “caótica”. “Estamos realmente preocupados com a situação da UPA. Vamos investigar e observar caso a caso. As denúncias que recebemos realmente são gravíssimas”, avaliou.

A nota enviada pela prefeitura de Bayeux não menciona uma possível atuação da Polícia Civil na investigação do caso.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas