Homem é morto pela PM ao ser confundido com assaltante; filho dele também foi ferido

84
0
COMPARTILHE

Um aposentado de 59 anos morreu depois de ser confundido com um assaltante e baleado por policiais militares, na noite dessa quinta-feira (5), em um sítio na zona rural de Areial, Agreste paraibano, a 115 km de João Pessoa. O filho dele, um jovem de 23 anos, também foi ferido.

Leia mais Notícias no Portal Correio

Segundo o delegado responsável pelo caso, Jorge de Almeida, as informações preliminares são de que as vítimas tinham tido a casa invadida por uma dupla de assaltantes instantes antes de a PM chegar ao local. Os policiais haviam sido acionados para apurar a ocorrência.

“Os bandidos queriam o dinheiro conseguido com a venda de um garrote. Eles foram bastante violentos e levaram alguns membros da família como reféns, em direção a um matagal. As vítimas feridas pela PM decidiram não esperar a chegada de uma viatura e sair em busca dos familiares. Segundo os parentes, que estavam bem abalados, pai e filho saíram da casa armados. Os policiais provavelmente acharam que se tratava dos bandidos e atiraram. Foi uma fatalidade”, informou o delegado, ao Portal Correio.

Ainda conforme o Jorge de Almeida, as duas vítimas foram socorridas para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande. Durante a madrugada desta sexta-feira (6), a Polícia Civil foi informada por familiares que o homem de 59 anos havia morrido. O filho dele foi baleado na região do ombro e não corre risco de morte.

“Vamos ouvir os policiais militares e voltar hoje [sexta-feira] pela manhã ao sítio para entender melhor o que aconteceu. Saber se os PMs se identificaram ao chegar no sítio, se havia sinalização da viatura, se no local há iluminação suficiente que permitisse que as vítimas enxergassem a polícia, etc. E pretendemos fazer a reprodução simulada da situação, mas talvez não dê tempo de isso acontecer hoje”, completou o delegado.

Os membros da família que haviam sido levadas como reféns por assaltantes foram liberadas. “No fim das contas, os criminosos também agiram por engano, uma vez que quem vendeu um garrote recentemente foi a família de uma casa vizinha”, contou Jorge de Almeida. “Esse caso do roubo será investigado pela polícia em Areial”, finalizou.  

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas