Instituto Lula pede que Minist?rio da Fazenda e PGR investiguem quebra de sigilo

0
COMPARTILHE

O Instituto Lula divulgou nesta quarta-feira (18) a relação de empresas que contrataram palestras do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em nota à imprensa, o instituto também anunciou que pediu ao Ministério da Fazenda e à Procuradoria-Geral da República (PGR) que apurem a violação do sigilo bancário da empresa LILS, criada pelo ex-presidente para gerenciar suas atividades.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

Segundo a entidade, desde que deixou a Presidência da República, Lula fez 70 palestras remuneradas para 41 empresas. De acordo com o instituto, no mesmo período, Lula participou de mais de 200 conferências gratuitas em sindicatos, movimentos sociais e instituições no Brasil e no exterior. Na nota, a entidade diz que Lula exerce suas atividades legalmente, recolhendo impostos, assim como outras personalidades e ex-presidentes.

Para o Instituto Lula, a divulgação é necessária para evitar distorções dos fatos. “Mesmo se tratando de contratos que preservam a privacidade das partes, julgamos necessária sua divulgação neste momento, para esclarecer distorções, manipulações e prejulgamentos em torno dessa atividade e das empresas contratantes, como vem ocorrendo por meio de reportagens, artigos e até editoriais na imprensa”, diz a entidade.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, determinou nesta terça-feira que a Polícia Federal (PF) investigue a violação de sigilo legal de dados bancários da empresa LILS. Segundo reportagem da revista Veja, publicada no último fim de semana, a empresa arrecadou R$ 27 milhões em quatro anos, conforme relatórios do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), repassados aos investigadores da Operação Lava Jato obtidos pela revista.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas