Lava Jato não está em risco, afirmam ministros do STF após soltura de Dirceu

7
0
COMPARTILHE

Os ministros Marco Aurélio Mello e Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmaram hoje (3) que as investigações da Operação Lava Jato de nenhuma forma estão ameaçadas após a libertação de José Dirceu.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

“Embora tenha ficado vencido na decisão de ontem, pois eu acompanhava o ministro Edson Fachin negando o habeas corpus, entendo que de modo algum a Operação Lava Jato está comprometida, pelo contrário”, disse Celso de Mello, ministro mais antigo do STF, antes da sessão plenária desta quarta-feira.

Celso de Mello foi um dos votos vencidos no julgamento da Segunda Turma realizado na tarde de ontem (2) que, com placar 3 a 2, decidiu revogar a ordem de prisão do ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu. O ex-ministro foi libertado hoje (3) após a determinação de medidas cautelares alternativas pelo juiz Sérgio Moro, como o uso de tornozeleira eletrônica.

“O importante é que a Operação Lava Jato, uma vez respeitados as garantias da Constituição e o que as leis da República estabelecem, aprofunde cada vez mais, cada vez mais, a investigação acerca dos fatos delituosos que estão estarrecendo o país”, afirmou o decano. “Não vejo motivo algum para qualquer tipo de receio. A Lava Jato se tornou uma verdade irreversível.”

Após o julgamento, o procurador da República Daltan Dalagnol, que coordena a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, criticou a decisão do Supremo. Para ele, o posicionamento dos ministros do STF trará consequências diretas para a investigação.

O ministro Marco Aurélio Mello, que integra a Primeira Turma e portanto não participou da decisão sobre a liberdade de Dirceu, refutou os riscos para a investigação. “Não tem qualquer ameaça à Lava Jato. A sociedade fique tranquila. As investigações e os processos estão em curso”, afirmou. “Nós não temos qualquer prejuízo, com o julgamento de ontem, considerável à Lava Jato.”

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas