Marin estaria cogitando pagar R$ 22 mi para ter pris?o domiciliar

28
COMPARTILHE

O ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol José Maria Marin estaria disposto a desembolsar uma fortuna para ter o direito de ficar em prisão domiciliar nos Estados Unidos. Os advogados do dirigente podem propor pagar cerca de R$ 22 milhões à Procuradoria de Justiça americana para que ele possa usufruir desse privilégio.

Leia mais notícias de Esportes no Portal Correio

Uma reunião em busca de um acordo entre as partes está programada para a próxima sexta-feira (10). Um dia antes, deve acontecer na Suíça uma audiência para analisar o pedido de extradição feito pelos EUA na quarta-feira (1º). A decisão, porém, pode levar semanas.

A ideia da defesa de Marin é que ele responda ao processo que sofre em um apartamento que possui em Nova York ao invés de ir para uma prisão comum.

O brasileiro e outros seis cartolas estão desde o dia 27 de maio detidos na Suíça a pedido do FBI, a polícia federal americana, que investiga casos de corrupção na Fifa.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas