MEC diz que universidades j? t?m novos sal?rios, mas quer di?logo contra greves

24
COMPARTILHE

O Ministério da Educação (MEC) disse em nota que já teriam ocorrido pelo menos sete reuniões com a Federação de Sindicatos de Professores de Instituições de Ensino Superior (Proifes) e outras três com o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes) de janeiro a julho deste ano. Todas as instituições públicas de ensino superior da Paraíba estão em greve.

Leia mais Notícias no Portal Correio

O órgão reforça a tese de que está aberto ao diálogo e que acompanha as negociações realizadas em conjunto com o Ministério de Planejamento e representantes das instituições federais de ensino superior em greve há quase dois meses.

No entanto, o MEC não fala se existe contraproposta a ser apresentada aos grevistas que reivindicam, entre outros pontos, reajuste salarial unificado de 27,3%. As instituições estão paradas há cerca de dois meses e somente na Paraíba são cerca de 60 mil alunos sem aulas.

Na nota, o MEC lembra que tanto os docentes como os técnicos administrativos dessas instituições já tiveram reajuste este ano por conta de acordo firmado em 2012.

O compromisso do MEC seria de acompanhar tanto as negociações salariais como outros pontos reivindicados, a exemplo da reestruturação da carreira junto ao Ministério do Planejamento, a democratização da universidade e o redimensionamento da força de trabalho.

As universidades Federal da Paraíba (UFPB), Federal de Campina Grande (UFCG) e o Instituto Federal de Educação da Paraíba (IFPB) estão em greve. Junto com a paralisação da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), são 85 mil alunos que estão sem aulas em todo o estado.

Nessa quinta-feira (16), a UFPB decidiu suspender o calendário letivo para não prejudicar os estudantes.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas