Ministros discutem temas priorit?rios para regi?o Nordeste

8
0
COMPARTILHE

O 4º Encontro de Governadores do Nordeste nesta sexta-feira (17), no Hotel Arrey, em Teresina (PI), contou com a participação de ministros e secretários de Estados, entre outras autoridades.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

Na quinta-feira (16), foi realizada uma reunião preparatória com secretários de governo para discussão prévia dos temas propostos, a fim de agilizar a condução dos trabalhos e buscando criar um ambiente de debate sobre o presente e o futuro da região dentro de uma perspectiva integradora com o país.

Representando o ministro da Justiça, a secretária nacional de Segurança, Regina Miki, elogiou o trabalho que vem sendo desenvolvido no Estado da Paraíba pelo governador Ricardo Coutinho, por meio do programa “Paraíba Unida Pela Paz”. E, ao analisar a redução da maior idade, ela disse que não existe no Brasil qualquer relação com o número de prisão e queda de criminalidade.

A secretária disse também que não existe nenhum estudo que comprove que ao encarcerar mais se diminua a criminalidade. “Nunca se encarcerou tanto no Brasil, que atualmente é o terceiro país do mundo que mais encarcera, e nossa criminalidade não diminui. Recente pesquisa feita pela nossa equipe revelou que 81 municípios do país são responsáveis por 41% dos homicídios e 34 deles estão no Nordeste. Nós poderíamos trabalhar áreas vulneráveis nesses municípios com assistência social, de saúde e de educação, mas a ausência dos Estados nesses locais faz com que apenas a polícia assuma esses ambientes”, observou Miki se colocando à disposição dos governadores do Nordeste e de todo o país para encontrar alternativas de combate à criminalidade.

Durante o encontro, o ministro da Previdência, Carlos Eduardo Gabas, assegurou que o Governo federal está trabalhando para encontrar alternativas para adequar a legislação e garantir o pagamento de aposentados e pensionistas. Para os governadores do Nordeste, uma ótima alternativa seria a criação de um fundo por meio das instituições financeiras que gerem receita para o fundo de previdência.

Gabas destacou ainda a necessidade de se fazer alterações na Lei da Previdência para encontrar alternativas, mas que estas obedeçam o regulamento institucional. “As leis precisam de alterações e atualizações e vamos fazer isso em conjunto com os governadores. A nossa área jurídica tem atuado junto com alguns governadores, a fim de encontrar sustentação jurídica. Esse é um desafio conjunto e, pela forma como tem sido encarado diretamente pelos governadores, vamos encontrar soluções para cada um dos casos, a curto, médio e longo prazo”, disse o ministro.

O ministro da Ciência e Tecnologia, Aldo Rebelo, pontuou que o grande desafio na área de Ciência e Tecnologia no Brasil e no Nordeste tem uma relação direta com o desenvolvimento do país e de cada uma de suas regiões. Para o ministro, o Governo Federal precisa ter atenção voltada para o Nordeste por causa das potencialidades da região.

“Devemos apostar em Ciência e Tecnologia no Nordeste pela sua capacidade de inovação e pelo seu pioneirismo já demonstrado em períodos da história do Brasil, uma vez que a Região Nordeste foi pioneira em tecnologia através da indústria do açúcar e do porto de Recife, que já foi o segundo porto em movimento do mundo depois do porto de Londres”, lembrou o ministro, afirmando acreditar que o Nordeste tem muito o que contribuir para o desenvolvimento do Brasil, a exemplo do município de Campina Grande, na Paraíba, que tem muito potencial em tecnologia através do Instituto Nacional do Semiárido.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas