Morte de adolescente após parto causa tumulto em maternidade da Capital

342
COMPARTILHE

Um tumulto foi registrado na noite dessa quinta-feira (2) no Instituto Cândida Vargas (ICV), em João Pessoa, após a morte de uma adolescente de 15 anos, que não resistiu a complicações de um parto normal. Familiares danificaram parte do prédio e a polícia foi acionada para conter a confusão. Uma pessoa ficou ferida.

Leia mais Notícias no Portal Correio

A família da adolescente denuncia que houve negligência no atendimento. O argumento usado é de que a vítima passou muitas horas em trabalho de parto e a equipe médica continuou insistindo na espera por dilatação necessária para o parto normal. A família acredita que a adolescente tenha sido vítima de uma infecção. O bebê passa bem.

Ao Portal Correio, o diretor técnico do Instituto Cândida Vargas, Juarez Augusto, informou que a adolescente deu entrada na maternidade às 3h da segunda-feira (27) e o parto aconteceu às 22h59 do mesmo dia. “Em seguida ela foi encaminhada para a enfermaria, mas com o passar dos dias começou a apresentar vômitos e se queixar de dores. No fim da tarde de ontem [quinta-feira], a paciente foi transferida para a UTI. Ela morreu à noite, após sofrer cinco paradas cardíacas”, informou. 

Juarez Augusto também disse que aguarda o laudo da causa da morte para saber se será necessário realizar uma sindicância no hospital. A análise do corpo será feita pelo Serviço de Verificação de Óbito (SVO). “Se for comprovada a negligência, todas as providências serão tomadas e a equipe será sim responsabilizada”, garantiu o diretor técnico do ICV, ao acrescentar que não é possível estabelecer um prazo para a divulgação do laudo.

Tumulto

Por causa da morte da adolescente, um grupo ameaçou quebrar o hospital. Conforme registro da Polícia Militar, cerca de 15 pessoas teriam participado da ação. Uma vidraça do hospital foi danificada e a mãe da adolescente estava com um ferimento no braço. Ela foi socorrida para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena.

“Três viaturas foram ao local e os policiais da Força Tática atuaram na negociação com essas pessoas. A PM explicou que danos provocados ao hospital configurariam crimes e os ânimos foram contidos”, informou a assessoria da Polícia Militar. 

A direção do hospital registrou um boletim de ocorrência sobre o caso.

* Matéria atualizada às 8h57 para acréscimo e correção de informações.  

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

 

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas