Motoristas s?o flagrados fazendo fila dupla em locais proibidos em JP; Semob alerta

12
COMPARTILHE

Condutores que param em fila dupla e bloqueiam vias de passagem dos veículos poderão ser multados se flagrados nas câmeras de monitoramento de trânsito. Os equipamentos passarão a ser usados para registrar irregularidades e multar infratores a partir do dia 1º de fevereiro.

Leia também: Câmeras gravam motoristas fechando passagens de pedestres em João Pessoa

Essa prática irregular está prevista no artigo 181 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Estacionar formando fila dupla, além de prejudicar o fluxo dos veículos que estão transitando, podendo provocar congestionamento, impede a movimentação dos que estão estacionados de forma correta. A infração é considerada grave, tendo como penalidade multa no valor de R$ 127,69 e 05 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Além disso, o condutor irregular também pode ter o veículo rebocado.

A Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob) destaca que este tipo de infração ocorre quando o condutor mantém o veículo imobilizado por qualquer outra finalidade que não seja estritamente para o embarque e desembarque de passageiros, inclusive ao realizar operação de carga e descarga, mesmo que ele permaneça no interior do veículo e com o motor ligado.

Conforme a Semob, além de estacionar em fila dupla, também estarão sendo fiscalizadas pelos agentes de mobilidade do Controle de Tráfego por Área (CTA), infrações como: estacionar no passeio, ficar em cima da faixa de pedestre, ocupando vagas especiais sem credencial e o uso do celular.

A medida tem como base uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), de junho de 2015, que regulamenta a fiscalização de trânsito por videomonitoramento. Os agentes estarão autuando os condutores diretamente da central de monitoramento.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas