MP denuncia homem por morte de bebê baleado dentro da barriga da mãe paraibana

157
COMPARTILHE

O Ministério Público do Rio de Janeiro denunciou o homem que está sendo apontado como responsável pela morte bebê Arthur, baleado na barriga da mãe, a paraibana Claudineia dos Santos Melo, durante um tiroteio em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O denunciado responderá pelo crime de aborto provocado por terceiros sem o consentimento da gestante.

Leia também:

– Paraibana ferida por tiro recebe alta de hospital, no Rio; bebê segue internado;

– Bebê baleado na barriga da mãe há quase um mês continua em estado grave;

– Morre no Rio bebê que foi baleado quando ainda estava na barriga da mãe paraibana

Claudineia estava grávida de nove meses quando foi atingida na barriga por um tiro, que também feriu seu feto. O bebê nasceu com vida, mas morreu um mês depois, em um hospital do município.

Leia mais Notícias no Portal Correio

O homem também foi denunciado, junto com outro suspeito, pela tentativa de homicídio de policiais militares (PMs) no mesmo tiroteio e pelo crime de corrupção de adolescente, já que os dois são acusados de arregimentar um garoto para o tráfico, fornecendo armas e induzindo-o ao confronto.

A investigação da Polícia Civil constatou que a vítima estava próxima dos carros dos PMs e no campo de visão do suspeito, que, ao efetuar os disparos, assumiu o risco de matar. Ele estava junto a um adolescente de 15 anos e outro homem não identificado. Também foi apurado que os policiais militares não chegaram a atirar.

Em conversas telefônicas autorizadas pela Justiça, a investigação identificou, ainda, diálogos entre o adolescente e o chefe da quadrilha, dando detalhes dos tiros disparados contra os policiais naquele local, e a participação do apontado.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas
páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram e veja nossos vídeos no
Youtube. Você também
pode enviar informações à Redação
do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078. 

 

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas