Padre da PB é inocentado do crime de pedofilia após Justiça constatar falta de provas

Conforme pedido do MPPB, investigações do delegado Aneilton Castro não encontraram indícios documentais e testemunhais de que ele tenha cometido o delito

Justiça | Em 15/03/17 às 13h59, atualizado em 15/03/17 às 15h45 | Por Redação
Reprodução/ Arquivo Pessoal
Padre Jaildo Souto

A Justiça da Paraíba inocentou o padre Jaildo Souto, que chegou a ser acusado pelo crime de pedofilia contra um rapaz que hoje tem 23 anos. A decisão assinada pela juíza Daniere Ferreira, da comarca de Caaporã, na Grande João Pessoa, foi divulgada nessa terça-feira (14) no Cidade Alerta Paraíba, da TV Correio. O caso foi arquivado por falta de provas.

Leia também:

- Jovem que acusou padre de abuso sexual teria mentido e escrito carta pedindo perdão

- Padre é investigado por pedofilia; Arquidiocese confirma afastamento para 'tratamento de saúde'

- Padre denunciado por pedofilia na Paraíba é ouvido e nega caso amoroso com jovem

A determinação da Justiça atende a um pedido do Ministério Público da Paraíba (MPPB) que, por meio das investigações da Polícia Civil, constatou que o padre não cometeu crime de pedofilia. Conforme o pedido do MPPB, as investigações do delegado Aneilton Castro não encontraram indícios documentais e testemunhais de que ele tenha cometido o delito.

O caso segue para análise para o Tribunal Eclesiástico de Roma, que vai decidir sobre o retorno do padre Jaildo às atividades.

Segundo o Cidade Alerta Paraíba, a advogada do padre informou à TV Correio que ele não vai se pronunciar sobre a decisão.

Assista (a partir de 4:28).



Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.  

Atenção

Fechar