"Doía muito", diz vítima que ficou de joelhos, de cueca e apanhou em assalto no Hiper

Bando armado rendeu funcionários, os trancou em uma sala e fez arrastão na loja do Bessa, em João Pessoa

Polícia | Em 29/07/16 às 23h05, atualizado em 29/07/16 às 23h09 | Por Redação
Reprodução/Google Street View
Hiper Bessa, em João Pessoa

Uma das vítimas do assalto ao Hiper Bompreço do Bessa, em João Pessoa, na madrugada desta sexta-feira (29), deu detalhes de como foi a ação dos criminosos na loja. Segundo o relato, eles ficaram de joelhos por mais de uma hora, vestindo apenas cueca e um deles chegou a ser espancado. O depoimento foi levado ao ar pelo Correio Debate, da Rede Correio Sat.

Leia também: Bando invade hipermercado, tranca funcionários e rouba cerca R$ 300 mil, na Capital

A vítima, que teve a identificação preservada, disse que estava junto com colegas na área de descanso da empresa, por volta de 0h30, quando percebeu o momento em que os criminosos chegaram. “Vi que uma luz acendeu, mas não sabia quem tinha feito isso porque todos os funcionários estavam no descanso”, disse o homem, salientando que o criminoso chegou acendendo a luz do ambiente.

Ele revelou que o bandido anunciou o assalto, rendeu os funcionários que estavam no local e os trancaram em uma das salas de repouso. Segundo a vítima, eles foram obrigados a ficar só de cueca e permanecer de joelhos por mais de uma hora.

“Doía muito; ficamos muito tempo de joelhos, sentimos muita dor”, afirmou ele, dizendo ainda que ao não baixar a cabeça conforme ordenado pelo criminoso, sofreu uma tapa nas costas. “Ainda sinto a dor aqui nas costas”, relatou a vítima.

O funcionário falou que por todo o tempo da ação, os rendidos estiveram na mira de armas dos bandidos. Eles recolheram produtos e fugiram, mas deixaram os funcionários trancados em uma das salas de repouso. Segundo a vítima, um dos colegas passou mal e chorou muito.

Para sair da sala após a fuga dos assaltantes, os funcionários arrombaram a porta do local onde estavam trancados e conseguiram pedir ajuda.

De acordo com a polícia, foram feitos reféns, vigilantes tiveram armas roubadas e estoques de celulares e notebooks foram levados. O prejuízo ultrapassa os R$ 300 mil.

O Hiper Bompreço informou em nota que prioriza a segurança dos funcionários, que está reforçando a proteção na loja e que presta assistência aos empregados que sofreram a ação na madrugada.




Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

Atenção

Fechar