Professor suspeito de clonar carros diz que crimes foram para 'pagar contas'; vídeo

Com a voz embargada, ele pediu para que não seja exonerado do cargo de professor do Estado

Polícia | Em 12/12/16 às 23h12, atualizado em 12/12/16 às 23h13 | Por Redação
Reprodução/TV Correio HD
Presos foram apresentados pela polícia

O professor de Geografia, da rede estadual de ensino da Paraíba, Ricardo de Barros Alexandre, de 37 anos, disse nesta segunda-feira (12) à TV Correio que teria integrado um esquema criminoso de roubo e clonagem de veículos por conta de dificuldades financeiras. Assista abaixo. Foram apreendidos 11 veículos durante a ação policial, que foi realizada em João Pessoa e Cabedelo.

Leia mais Notícias no Portal Correio

“Infelizmente a situação financeira nesse país, que educação, a saúde e a segurança não são prioridades, faz com que a gente entre em uma situação de dinheiro fácil, que pague as contas e daqui a pouco você não tem mais como sair dela”, afirmou à TV Correio.

Ele disse que se dispôs a colaborar com a polícia nas investigações e pediu que não seja exonerado da função de professor no Estado. “Sou servidor do Estado e as 48h que eu passei nessa cela eu peço encarecidamente ao poder público que veja o meu lado e não ocasione minha exoneração; é só o que me restou. É voltar ao trabalho e encara os fatos”, disse, com a voz embargada.




O professor Ricardo e também Juraci Alves da Silva, de 49 anos; João Amaro da Silva e Robson Oliveira, de 39 anos foram presos no fim de semana e apresentados pela polícia nesta segunda-feira (12), em João Pessoa.

Segundo a Polícia Civil, o grupo é suspeito de roubar carros e clonar placas e documentação em João Pessoa e em outros estados do Nordeste, como o Rio Grande do Norte (RN) e Pernambuco. De acordo com o delegado Nélio Carneiro, mais de 20 pessoas foram vítimas da quadrilha.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.  

Atenção

Fechar