MP-Procon quer que carnes de empresas investigadas sejam recolhidas na Paraíba

MP-Procon vai pedir que produtos sejam retirados, por meio de solicitação a Senacon nos próximos dias

Saúde | Em 20/03/17 às 18h08, atualizado em 21/03/17 às 11h12 | Por Halan Azevedo
Divulgação/Pixabay
Imagem ilustrativa

O Programa de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério Público da Paraíba (MP-Procon), vai pedir que a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) determine o recolhimento em todos os supermercados da Paraíba de produtos considerados irregulares das fabricantes apontadas pela ‘Operação Carne Fraca’, realizada pela Polícia Federal (PF), que apontou, por exemplo, a inclusão de papelão em carnes bovina. A decisão foi tomada em reunião nesta segunda-feira (20).

Leia também: Operação Carne Fraca: ministério exonera superintendentes do Paraná e de Goiás

Segundo o coordenador do coordenador do MP-Procon, promotor Gauberto Bezerra, a solicitação vai ser encaminhada para a Senacon nos próximos dias e o recolhimento dos produtos vai ser baseado nos lotes irregulares apontados pela PF.

Leia mais Notícias no Portal Correio

“O recolhimento dos produtos vai ser com base nos apontamentos da PF. Iremos rastrear junto com a Receita Estadual se lotes dos produtos irregulares estão sendo comercializados ou se eles estão chegando para o comércio na Paraíba e proibir a venda”, contou o promotor.

Ainda segundo o promotor, o MP-Procon vai continuar com as fiscalizações de combate a acidentes de consumo, mas dedicando foco especial nos setores de carnes.

Além do MP-Procon, a reunião contou com representantes da Secretaria de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca do Estado (Sedap); Superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento; Secretaria Estadual da Receita; Vigilância Sanitária Municipal; Agência Estadual de Vigilância Sanitária da Paraíba (Agevisa); e do Procon-JP.



Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

Atenção

Fechar