O l?der, C?ssio e o TCM

31
0
COMPARTILHE

No dia 2 de fevereiro serão retomados os trabalhos na Assembleia Legislativa e o blocão que apoia o governo Ricardo Coutinho, com seus 22 deputados, passa a ser liderado pelo deputado Ricardo Barbosa (PSB) que prevê muitos desafios em 2016, mas ainda não inclui entre eles a criação do TCM (Tribunal de Contas dos Municípios).

Ricardo Barbosa, que em 2015 se colocou como indeciso, disse que precisa ser convencido da necessidade dessa nova corte antes de se comprometer com a sua defesa. Contou que ainda não conversou com o governador e avisa que se tiver que comandar as articulações para sua aprovação, não vai fazer como foi feito até agora. Acha fundamental que se dê motivos para que o povo apoie um novo órgão de fiscalização.

O líder do blocão afirma não temer o TCE, onde chegou a responder mais de 120 procedimentos em razão dos cargos que ocupou no Governo. Diz que já conseguiu arquivar 80%, sem pagar uma multa.

Também não receia o discurso da oposição. Aliás, disse que “não é verdadeiro” o de Cássio Cunha Lima, de que recuou da criação do TCM por ouvir o eco das ruas. “Não ouviu coisa nenhuma”, dispara ele, que era o líder do tucano na Assembleia e tem uma versão bem diferente.

“Quem recebeu a incumbência de Cássio governador [de criar o TCM] foi Ricardo Barbosa ao lado de Arthur Cunha Lima, que era presidente da Assembléia”, afirma. Lembra que para instalar o tribunal precisavam regulamentar a lei existente e lançar no orçamento. Que foram definidos até critérios para preenchimento dos cargos, pois quase todos os deputados queriam ser conselheiros. Mas, Cássio quis “partilhar com amigos” e houve reações na base aliada. “Nesse cenário, a galera disse: ‘aqui não’. Essa história de que foi ouvir as ruas não é verdadeira”.

Barbosa lembra que isso ocorreu em dezembro e que na volta do recesso já não existia clima para o TCM. Ele acha que as reações do TCE pesaram, assim como as da oposição e o processo de cassação, mas que a reação da base foi a decisiva.

Barbosa diz que vai ouvir o governador e a bancada, e que se for convencido, levantará novamente a bandeira do TCM, mas avisa que não fará isso apenas porque é do PSB. Se for persuadido, vai mirar o TCE, porque terá aceitado que não é suficiente na fiscalização das gestões.

TORPEDO

Para eu construir, para ser agente dessa discussão como fiz lá no governo Cássio, é preciso que esteja convencido do projeto. (…) Se a ALPB for se imuscuir nessa questão pra valer, tem que se olhar para o TCE e apontar os erros do TCE.

Do deputado Ricardo Barbosa (PSB), que vai assumir liderança do blocão governista, revelando que continua indeciso em relação ao TCM.

Talento…
Estrelas nacionais como o humorista Tom Cavalcanti, o cantor Leonardo e Ana Hickmann, e políticos de todas as tendências homenagearam o paraibano Shaolin, cuja morte foi destaque de Norte a Sul do país.

… inesquecível
O talento incomparável de Shaolin foi marcante em campanhas políticas na Paraíba, mas ele ganhou projeção nacional levando o sorriso às pessoas, valorizando suas raízes, seus valores e a multidão de amigos.

Largada
Os presidentes estadual e municipal do PMDB, José Maranhão e Manoel Júnior, que também é o pré-candidato a prefeito, vão reunir, hoje, os candidatos a vereador em João Pessoa, de olho no confronto de outubro.

Na disputa
Fenômeno nas eleições de 2010, quando foi campeão com 57.592 votos para deputado estadual, Toinho do Sopão, que foi derrotado em 2014, vai tentar se eleger vereador em João Pessoa. Já trocou o PEN pelo PTB.

ZIGUE-ZAGUE

+ Já tem apostas entre deputados se Dilma comparecerá ou não à abertura dos trabalhos do Congresso para apresentar resultados do ajuste fiscal e as metas para 2016.

+ Este será o último ano do desembargador Frederico Coutinho como Ouvidor do Judiciário estadual. Ele tem como meta visitar todas as comarcas do Estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas