O protesto e os tucanos

27
0
COMPARTILHE

Só seis
políticos protagonizam a propaganda nacional do PSDB no rádio e na televisão, e
o senador paraibano, Cássio Cunha Lima é um deles, e com duro discurso contra o
governo, assim como fazem o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, os
senadores Aécio Neves e José Serra, o líder na Câmara Carlos Sampio e o
governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Nas inserções
que começaram a ser veiculadas na terça-feira e serão repetidas neste sábado, o
PSDB mostra a visão dos seus líderes sobre o momento nacional e lamenta que a
estabilidade econômica e outros avanços conquistados pelos brasileiros estejam
ameaçados. FHC diz que todas as letras que Dilma não sabe governar.

Mas os vídeos
mais esperados são os programados para a próxima semana. O PSDB antecipou que
vai apoiar os movimentos populares que estão convocando uma grande manifestação
para o próximo dia 16, novamente pelo impeachment da presidente Dilma.

Cássio, que foi
um dos defensores dessa posição no partido, disse que “quem tem medo do povo é
o governo, não a oposição, que está em sintonia com grande parcela da
população”. Para ele, não é possível ignorar o que estar acontecendo e não
apoiar as manifestações que são convocadas pelos cidadãos.

O paraibano diz
que a posição do PSDB é clara: “Não queremos assumir a paternidade das
manifestações de rua, mas estamos ao lado dos manifestantes porque esse é o
nosso papel, dado pelas urnas. Estamos com os manifestantes que discordam das
práticas desse governo, que querem lutar contra a corrupção. Até porque, como
disse o presidente Fernando Henrique, não se deve salvar aquilo que não merece
ser salvo”.

Aécio Neves compartilha
o mesmo pensamento. Diz que a convocação para o dia 16 atende cobrança dos
eleitores do PSDB, e que o partido não fugirá a esse chamamento. Nas primeiras
manifestações deste 2015, que ocorreram em 15 de março e 12 de abril, os
tucanos declararam apoio, mas não participaram dos atos.

Os movimentos “Vem
Pra Rua”, “Brasil Livre”e “Revoltados Online” usam todos os tipos de recursos
para convocar para o “Fora Dilma”nas redes sociais. Tem chamada musical, tem
humor e tem inúmeras peças onde rotulam a manifestação, já confirmada em 100
cidades, de “ato patriótico”.O apoio do PSDB na TVé a cereja no bolo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas