Oposi??o decide ‘endurecer’ discurso na ALPB e cobrar instala??o de CPI

0
COMPARTILHE

Uma eventual proposta de criação de um Tribunal de Contas do Município (TCM) não foi o principal cardápio do almoço da bancada oposicionista na Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (10), em um restaurante na orla do Cabo Branco. Dez deputados compareceram ao local e decidiram endurecer o discurso contra o Governo do Estado e vão cobrar da mesa-diretora da ALPB a instalação da CPI do Empreender.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

Na noite desta terça, no programa ’27 Segundos’, da RCTV (canal por assinatura do Sistema Correio de Comunicação), o líder da bancada de oposição, deputado Renato Gadelha (PSC), disse que a Comissão Parlamentar de Inquérito não tinha sido instalada porque a Mesa informou da tramitação de outras cinco CPIs. “Pelo menos duas delas não foram instaladas. Uma foi formalmente sepultada – a dos pardais (radares eletrônicos) – e não há porquê não instalar agora a nossa”, comentou.

Renato Gadelha disse ainda que outra prioridade da bancada de oposição é emendar a proposta da Lei Orçamentária Anual (LOA) em diversos pontos. Segundo ele, as explicações da área econômica do Estado não convenceram os oposicionistas, que vão pedir o remanejamento de verbas, especialmente para Saúde e Segurança Pública.

O deputado afirmou que a oposição trata a especulação sobre a criação de um TCM como “mero boato”. Ele rechaçou qualquer responsabilidade da bancada oposicionista nesse debate. “Se isso for criado é de inteira responsabilidade do governador. Não vamos falar sobre esse assunto enquanto não houver algo concreto sobre isso. Para nós, não passa de boato”, disse.

Gadelha entende que a sociedade viria a criação de outro Tribunal de Contas como “um cabide de emprego” e que o governo teria que se esforçar muito para convencer a população sobre esses gastos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas