Oposi??o questiona contrato da PMJP com empresa de coleta de lixo

4
0
COMPARTILHE

Os vereadores de oposição à gestão do prefeito Luciano Cartaxo (PT) questionam na Câmara Municipal sobre a legalidade do contrato firmado pelo Executivo da Capital com a Revita Engenharia, uma das empresas investigadas na Operação Lava Jato por esquema de desvio de recursos públicos. Na Capital, a Prefeitura firmou contrato com a empresa para a coleta de resíduos sólidos.

Leia mais notícias de Política do Portal Correio

Na sessão nesta quinta-feira (13) foi votado um requerimento de autoria do vereador Renato Martins (PSB), que pedia a convocação do dono presidente do Grupo Solvi, Carlos Leal Villa, para prestar esclarecimento da contratação, mas a propositura foi rejeitada por maioria.

Renato Martins afirmou que o prefeito Luciano Cartaxo (PT) firmou, no início de sua gestão, um contrato emergencial com a empresa e que, segundo ele, recebeu quase R$ 50 milhões da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) desde 2013.

Ele criticou os vereadores da base governistas por terem votado contra o requerimento. “No caso da empresa Revita você tem fortíssimos indícios pelos fatos dela ter pago R$ 448 mil reais a José Dirceu. Pagamento esse tido pelo Ministério Público Federal como tráfico de influência e propina. A convocação era pelo fato da Revita ter doado quase 4 milhões ao PT nacional e o PT doou R$ 1,3 milhão à campanha de Cartaxo e o primeiro ato dele foi trazer a Revita para João Pessoa sem licitação. A Revita já recebeu mais de 50 milhões de reais dos cofres públicos da Prefeitura. A nossa intenção era trazer o para essa casa o proprietário da revita, até para que ele possa se defender”, disse.

O vereador Raoni Mendes (PDT) declarou que os equipamentos de coleta de lixo da Revita já estavam na Capital antes de acontecer a licitação de escolha da empresa responsável pelo serviço. “De repente uma empresa chega com suas máquinas para trabalhar quando não tinha ocorrido nem a licitação. A empresa já sabia que ia ganhar a licitação?”, questionou.

O líder situacionista Marco Antônio (PPS) alegou que o contrato firmado entre a PMJP e a Revita se deu de maneira legal e já foi inclusive auditado pelo Tribunal de Contas do Estado da Paraíba. “Estou compreendo o desespero da oposição, que procura de todas as maneiras derrotar politicamente o prefeito Luciano Cartaxo”, afirmou Marco Antônio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas