Para?ba dobra o n?mero de microcefalia em uma semana; Sa?de investiga 248 casos

0
COMPARTILHE

O Ministério da Saúde divulgou na manhã desta segunda-feira (30), um novo boletim epidemiológico sobre os números de microcefalia no país. Os números são de registros feitos até a sexta (28). Segundo o MS, a Paraíba tem 248 casos estão em investigação. No país já foram notificados 1.248 casos de microcefalia, identificados em 311 municípios de 13 estados e Distrito Federal. O estado ocupa do segundo lugar em registro da doença no Brasil. Em entrevista coletiva realizada no dia 24 de novembro, a Secretaria de Saúde do Estado confirmou que 104 casos em investigação.

Leia também: Estudo comprova relação do zika vírus com a microcefalia; Saúde divulga hoje novo boletim

Após casos de microcefalia, PB intensifica combate ao mosquito Aedes aegypti

Paraíba é o segundo estado com maior número de microcefalia no país; Saúde investiga 104 casos

Técnicos do Ministério da Saúde chegam à Paraíba nesta segunda para auxiliar o acompanhamento da situação e investigação dos casos. O estado de Pernambuco registra o maior número de casos (646), sendo o primeiro a identificar aumento de microcefalia em sua região. O Estado conta com o acompanhamento de equipe do Ministério da Saúde desde o dia 22 de outubro. Em seguida, estão os estados de Paraíba (248), Rio Grande do Norte (79), Sergipe (77), Alagoas (59), Bahia (37), Piauí (36), Ceará (25), Rio de Janeiro (13), Tocantins (12) Maranhão (12), Goiás (2), Mato Grosso do Sul (1) e Distrito Federal (1).

 

Entre o total de casos, foram notificados sete óbitos. Um recém-nascido do Ceará, com diagnóstico de microcefalia e outras malformações congênitas por meio de ultrassonografia, teve resultado positivo para vírus zika. Outros cinco no Rio Grande do Norte e um no Piauí estão em investigação para definir causa da morte.

No sábado (28), o Ministério da Saúde confirmou a relação entre o zika vírus e o surto de microcefalia na Região Nordeste. Em nota, o ministério confirmou o resultado do Instituto Evandro Chagas, que anunciou ter identificado a presença do zika vírus em amostras de sangue e tecidos deste bebê. A partir dos exames do bebê, que acabou não resistindo e morreu, o governo confirmou a relação entre o vírus e a microcefalia. O MS vai lançar uma nova campanha, pedindo à população que verifique regularmente, em suas casas, os possíveis espaços de reprodução do mosquito.

Leia mais Notícias do Portal Correio

A investigação dos casos está sendo realizada pelo Ministério da Saúde de forma integrada com as secretarias estaduais e municipais de saúde, com o apoio de instituições nacionais e internacionais. Comitês de especialistas apoiarão o Ministério da Saúde nas análises epidemiológicas e laboratorial, bem como no acompanhamento dos casos.

Desde o surgimento dos casos, o Ministério da saúde tem enviado às secretarias estaduais de saúde orientações sobre o processo de notificação, vigilância e assistência às gestantes e aos bebês acometidos pela microcefalia. Essas informações serão constantemente atualizadas.

O Laboratório de Flavivírus do Instituto Oswaldo Cruz da Fiocruz/RJ participa das investigações e concluiu, no dia 17 de novembro, diagnósticos que constataram a presença do genoma do vírus Zika em amostras de duas gestantes da Paraíba, cujos fetos foram confirmados com microcefalia através de exames de ultrassonografia. O material genético (RNA) do vírus foi detectado em amostras de líquido amniótico, com o uso da técnica de RT-PCR em tempo real.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas