PB fecha 2016 com saldo negativo de 11,8 mil vagas de trabalho, diz Caged

19
0
COMPARTILHE

A Paraíba perdeu 11.810 vagas de emprego durante todo o ano de 2016, conforme dados divulgados nesta sexta-feira (20) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), realizado pelo Ministério do Trabalho.


Leia mais Notícias no Portal Correio

Segundo o Caged, em 2016 a Paraíba teve um total de contratações formais de 122.402 trabalhadores, mas registrou 134.212 demissões. Em dezembro, as dados mostram 6.826 contratações contra 10.684 demissões, saldo negativo de 3.858 empregos.

João Pessoa registrou saldo negativo de 8.205 entre contratações (52.769) e demissões (60.974). Já em Campina Grande foram registradas 19.073 admissões contra 20.780 demissões, um saldo negativo de 1.707.


Dados nacionais

No acumulado de 2016, o Brasil registrou eliminação de 1.321.994 postos de trabalho, diminuindo o estoque de vagas formais em 3,33%. Foram registradas 869.439 admissões e 1.331.805 desligamentos no período. O resultado mantém a tendência de mais demissões que contratações no mercado de trabalho brasileiro.

De acordo com os dados, os oito setores de atividade econômica avaliados sofreram queda no nível de emprego. O setor de Serviços teve a maior redução do estoque de vagas em termos absolutos, com 157,6 mil postos a menos. O setor Indústria de Transformação perdeu 130,6 mil vagas. A maior queda percentual foi na Construção Civil, com 82,5 mil postos de trabalho fechados, o que representa um encolhimento de 3,47% do setor. O segundo maior recuo foi na Agricultura, com 48,2 mil vagas a menos.

Salários

O Caged informou também que o salário médio de admissão em 2016 caiu 1,09% em relação ao mesmo período do ano anterior, passando de R$ 1.389,19, em 2015, para R$ 1.374,12, em 2016.

O relatório aponta que o salário dos homens caiu mais que o de mulheres no período. O salário deles caiu em média 2,43% em 2016, enquanto o delas caiu 0,99%. Com a redução dos salários masculinos, a média de salarial das mulheres passou a representar 89,24% do que eles recebem.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas