PB tem queda de 97% nos casos suspeitos de doenças provocadas por Aedes

86
0
COMPARTILHE

Os casos suspeitos de doenças provocadas pelo mosquito Aedes aegypti tiveram redução na Paraíba, conforme boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira (18) pela Secretaria Estadual de Saúde. De 3 de janeiro a 7 de abril deste ano, foram notificados 1.153 casos suspeitos de dengue, zika e chikungunya, frente a 40.030 registrados em 2016, no mesmo período, o que corresponde a uma queda de 97,12% no número de casos no estado.


Leia mais Notícias no Portal Correio

Foram 857 casos de dengue neste ano, contra 2.135, 6.612 e 30.260 casos em 2014, 2015 e 2016, no mesmo período, respectivamente. Quanto a chikungunya, foram 242 casos suspeitos naquele período deste ano, frente a 6.817 notificações em 2016. Já quanto a zika, a Secretaria de Saúde da Paraíba notificou 54 casos suspeitos, frente a 2.953 casos no mesmo período em 2016. Não há registros de febre amarela e a Paraíba é um estado fora da área de risco para essa doença.

Três mortes que podem ter sido provocadas por arboviroses (doenças causadas por mosquitos) são investigadas na Paraíba. Os casos ocorreram em Bayeux (1), João Pessoa (1) e Conceição (1).

Com relação à febre amarela, a recomendação permanece a mesma: as pessoas que moram em áreas com recomendação para a vacina e as que vão viajar para regiões silvestres, rurais ou de mata, dentro dessas áreas, devem ser imunizadas. A vacina faz parte do Calendário Nacional do SUS para atender a população nas situações recomendadas, de acordo com a região. A Paraíba está fora da área com recomendação de vacina.

No período de 30 de janeiro a 3 de fevereiro de 2017 foi realizado o 1º LIRAa (Levantamento de Índices Rápido do Aedes aegypti) e LIA (Levantamento de Índices Amostral do Aedes aegypti) do ano. Dos 223 municípios paraibanos, 222 (99,5%) apresentaram os seus resultados.

De acordo com esses dados, 88 municípios (39,6%) apresentaram índices que demonstram situação de risco para ocorrência de surto, 95 (42,8%) encontram-se em situação de alerta e 39 (17,6%) em situação satisfatória; destes 12 apresentaram Índice de Infestação Predial (IIP) zero.

“Destacamos que dos 223 municípios do estado, 135 não registraram a ocorrência de casos suspeitos de dengue em 2017. É importante evidenciar que a sinalização de casos suspeitos é uma forma de manter os profissionais de saúde em alerta para o agravo, contribuindo para o desencadear das ações de prevenção”, disse a gerente executiva de Vigilância em Saúde, Renata Nóbrega.

Entre as atividades programadas para o combate ao Aedes em 2017 estão, de 24 a 28 de abril, a realização do 2º LIRAa/LIA 2017; distribuição dos repelentes às gestantes inscritas no Programa Bolsa Família; e planejamento para distribuição dos 37 pulverizadores costais motorizado, contemplando 37 municípios paraibanos para apoio as ações de controle vetorial.

Os municípios contemplados são Mamanguape, Pitimbú, Rio Tinto, Araruna, Solânea, Alagoa Grande, Alagoa Nova, Arara, Barra de Santana, Esperança, Fagundes, Juazeirinho, Lagoa Seca, Massaranduba, Pocinhos, Queimadas, Barra de Santa Rosa, Nova Floresta, Picuí, Serra Branca, Malta, Maturéia, Várzea, Conceição, Santana dos Garrotes, Mato Grosso, Cachoeira dos Índios, São José de Piranhas, Cajazeirinhas, Nazarezinho, Santa Cruz, Água Branca, Manaíra, Ingá, Juarez Távora, Pedras de Fogo e Pilar.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas