Pessoas ligadas a políticos são alvo de nova fase da Lava Jato

11
0
COMPARTILHE

Nova fase da Operação Lava Jato, autorizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), foi deflagrada nesta terça-feira (21) pela Polícia Federal (PF). Estão sendo cumpridos 14 mandados em 13 endereços nas cidades de Brasília, Maceió, Recife, Rio de Janeiro e Salvador. Conforme a Polícia Federal, pela primeira vez, a investigação usa informações “dos acordos de colaboração premiada firmados com executivos e ex-executivos da Odebrecht”. Em janeiro deste ano, os acordos foram homologados pelo Supremo.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

Os endereços – em Pernambuco e na Bahia – são de pessoas ligadas a políticos, entre eles, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e o líder da oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE).

Segundo notas da Polícia Federal e da Procuradoria-Geral da República (PGR), o objetivo da nova fase, chamada Operação Satélites, é investigar indícios de crimes de corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro. A PGR informou que “não é possível divulgar detalhes sobre os procedimentos porque os termos de depoimentos [das delações] estão em segredo de Justiça”.

“Trata-se da 7ª fase da Operação Lava Jato que apura o envolvimento de pessoas com prerrogativa de foro junto ao STF. Outras três foram realizadas em 2015, duas em 2016 e uma em fevereiro deste ano”, informam a PF e a PGR.

Políticos

Em comunicado sobre a nova fase de investigação, Eunício Oliveira informou que, em 2014, durante o processo eleitoral, autorizou a solicitação de doações, na forma da lei, para a sua campanha ao governo do Ceará. Segundo Eunício, o pedido de abertura de inquéritos no STF, destinados a apurar versões de delatores, “cujo conteúdo desconhece, é o caminho natural do rito processual”.

O senador Humberto Costa informou, também por meio de nota, que a PF já solicitou o arquivamento do inquérito aberto no STF por não encontrar qualquer evidência de irregularidade ao longo de dois anos de investigação. O parlamentar garantiu ainda contribuir com as autoridades em todos os esforços necessários à elucidação dos fatos.

“A ação de hoje vai corroborar a apuração realizada até agora, que aponta para o teor infundado da acusação e da inexistência de qualquer elemento que desabone a sua vida pública”, destaca o comunicado divulgado por Costa.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas