Plantando na seca

6
0
COMPARTILHE

Na última semana de 2016, período festivo em que muitos já se entregaram ao repouso e o convívio familiar integral, há quem planeje o próprio futuro político.

A simpatia dos moradores e filhos do Nordeste, que se espalharam por todas as regiões do País, foi fator fundamental para eleger e reeleger o pernambucano Lula, e sua sucessora, a mineira radicada no Rio Grande do Sul Dilma Rousseff. Pensando nisso, candidatos a candidatos ao Planalto começam a buscar na região eleitores para uma disputa em 2018.

Pensando numa disputa interna no PSDB pela cabeça da chapa, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, deu uma cartada em novo gesto político ao emprestar bombas hidráulicas para mitigar a seca no Nordeste. O tucano assinou termo de cessão dos equipamentos para a Paraíba e Pernambuco, com discurso nacionalizado.

O empréstimo, por quatro meses, teria potencial de beneficiar quase 2,5 milhões de pessoas, apesar da região só abrigar 1 milhão. Pernambuco e Paraíba são comandados pelo PSB, sigla do vice de Alckmin, Márcio França, e que cobiça a sua filiação para lançá-lo candidato a presidente.

Por outro lado, há defensores do nome do paraibano numa composição de chapa para a Presidência. Uns sonham alto, com Ricardo Coutinho na cabeça. Outros, mais comedidos, acreditam num vice com direito a atuação.

Além do momento de grave estiagem que a região enfrenta, num das piores secas em meio século, é nesses Estados em que está a maior expectativa para a redenção com as águas da transposição do rio São Francisco – projeto iniciado pelo pernambucano Lula (ainda tido como principal nome do PT para voltar ao Planalto).

O atraso da obra, prometida inicialmente para 2010, só alimenta a desesperança do sertanejo. O ato do governador de São Paulo, Estado que enfrentou severa estiagem há alguns anos, tenta aproximar sua experiência como gestor da crise hídrica paulista da solução para a falta d’água no Nordeste.

Já no outro extremo do duelo tucano, o senador Aécio Neves (MG), reconduzido por um ano à presidência do PSDB, que pleiteia nova chance de disputar a presidência do Brasil.

Enquanto não chega a água, nem bombas adiantam.

Torpedo

“Nós acabamos, até por força da dificuldade, adquirindo uma grande expertise e tecnologia, equipamentos para superar esse período de adversidade e, graças a Deus, não estamos usando mais”, do governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) na cerimônia de assinatura da cessão de motobombas para estados nordestinos.

Vale o escrito?

A assessoria da Prefeitura da Capital distribuiu nota sobre a posse de Luciano Cartaxo e Manoel Junior, prefeito e vice respectivamente, no domingo. Manoel, no entanto, mantém mistério sobre deixar a Câmara.

Solenidade marcada

Cartaxo foi reeleito no primeiro turno das eleições de outubro, com Manoel na vice. Eles serão empossados, na Estação Cabo Branco, em sessão extraordinária, pela Mesa Diretora da Câmara Municipal, que será eleita no mesmo dia.

Chapa única

Governistas em João Pessoa e Campina Grande devem comandar as câmaras municipais no biênio 2017-2019. Na Capital, Marcos Vinicius (PSDB); e na Rainha da Borborema, Ivonete Ludgério (PSD) é a única inscrita até agora.

Bandeira branca

Diplomado para governar uma cidade mergulada na crise, o tucano Emerson Panta está apelando ao ‘republicanismo’ dos adversários para reconstruir Santa Rita. Quer uma trégua com o deputado Zé Paulo e o governador Ricardo.

Zigue-Zague

Após longo período de dedicação à eleição da Mesa Diretora da CMJP, com ausências em plenário, vereadores da Capital prometem voltar ao trabalho hoje.

Na pauta de votações, projeto de transparência pública, combate ao nepotismo e o orçamento para o exercício de 2017. Derrotados nas urnas se despedem.

Damásio Dias e Equipe Correio – interino

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas