Pol?cia diz que dupla que participou de estupros com morte de uma paraibana queria roubar carro

0
COMPARTILHE

Os dois suspeitos de tentar roubar e participar do estupro de duas mulheres de João Pessoa, com a morte de uma delas, em Pernambuco, teriam dado início ao crime anunciando um assalto na capital paraibana. Eles pretendiam roubar o carro, mas mesmo tendo o veículo à disposição, a polícia informou que eles mantiveram as ações que culminaram nos crimes. As informações foram repassadas durante entrevista coletiva na Central de Polícia Civil, em João Pessoa, no começo da noite desta terça-feira (30), onde os dois foram apresentados oficialmente como suspeitos.

Leia mais Notícias no Portal Correio

A delegada Roberta Neiva, que participou das investigações, disse que a dupla abordou as duas mulheres e o bebê de nove meses, filho de uma delas, no bairro dos Bancários, na Zona Sul de João Pessoa. Na tarde do sábado (20), de moto, eles anunciaram o assalto às vítimas, que estavam de carro, voltando de uma festa em uma escola. Apesar do carro ter sido oferecido pelas mulheres, eles não aceitaram.

Segundo o relato da delegada, com base no depoimento da vítima sobrevivente, um dos dois entrou no carro, tomou a direção do veículo e seguiu para Pernambuco, pela BR-101, enquanto o outro suspeito continuou de moto. Ela falou que um dos envolvidos no crime pretendia roubar o veículo e deixar as mulheres, mas o outro teria insistido em permanecer com as vítimas.

Elas foram levadas para um canavial, na cidade de Goiana, em Pernambuco, onde um dos suspeitos estuprou as duas mulheres e abandonou o bebê de noves meses na mata. A primeira vítima estuprada foi trancada na mala do carro até que a violência sexual fosse concluída com a outra mulher.

Depois, eles colocaram as duas mulheres na estrada de terra na mata, amarraram cada uma delas com roupas e um deles as atropelou com o carro. Uma não suportou os ferimentos e morreu no local e a outra resistiu e se recupera em um hospital de Pernambuco. Os suspeitos levaram o carro para outra parte do canavial, um deles incendiou o veículo e depois os dois fugiram. O choro da criança na mata chamou a atenção de pessoas que passaram perto do local e a polícia foi acionada.

Conforme a polícia, as autoridades conseguiram esclarecer os fatos não só por meio de investigações específicas, mas também pelos relatos da vítima que sobreviveu. A polícia disse que precisou divulgar que a sobrevivente havia perdido a memória para preservar os procedimentos de elucidação do crime.

Um dos suspeitos disse que está arrependido de ter cometido o crime e pediu desculpas à família. O outro apontado pela polícia como participante do caso não quis falar com a imprensa.

De acordo com as autoridades, um dos dois já têm passagens pela polícia e antes de cometer os crimes contra as mulheres e o bebê, eles teriam se encontrado em um bar, no bairro de Mangabeira, na Capital, onde planejavam roubar carros, naquele sábado (20).

A polícia divulgou que os dois poderão responder por roubo duplamente qualificado, privação da liberdade de vítimas e ainda por terem cometido os atos com o auxílio de outra pessoa. Um dos suspeitos poderá responder por todos esses crimes, mas também será indiciado por duplo estupro, dupla tentativa de homicídio duplamente qualificada (de uma das mulheres e do bebê), homicídio duplamente qualificado e incêndio do carro; ele poderá ficar preso por até 110 anos. Não houve sequestro.

A delegada Roberta Neiva disse que as vítimas foram levadas para Pernambuco porque um dos suspeitos teria vínculos não só na Paraíba, como também no estado vizinho. Esse homem foi preso em Igarassu, na Região Metropolitana de Recife (RMR).

O caso

Os dois suspeitos foram presos no bairro dos Bancários, em João Pessoa, e na RMR. As informações sobre a prisão foram divulgadas em primeira mão pelo Portal Correio e apresentadas depois pela Polícia Civil do Estado por meio de entrevista coletiva na Central de Polícia Civil na Capital, nesta terça-feira (30).

As vítimas haviam desaparecido no sábado (20) e foram encontradas no domingo (21), em um canavial na cidade pernambucana de Goiana. No local, uma das mulheres morreu com os atos violentos, outra resistiu aos ferimentos e sobreviveu e um bebê de nove meses, filho da sobrevivente, também escapou. Os dois se recuperam bem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas