Projeto de Cássio que criminaliza violação de direitos de advogados é aprovado na CCJ

Texto aprovado em comissão do Senado agora vai para a Câmara Federal

Gestão | Em 09/08/17 às 15h38, atualizado em 09/08/17 às 15h45 | Por Redação
Divulgação
Senador Cássio Cunha Lima

Foi aprovado nesta terça-feira (8) pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal, o Projeto de Lei de autoria do senador Cássio Cunha Lima (PSDB), que altera o Estatuto da Advocacia e criminaliza as violações de direitos ou prerrogativas dos advogados. Comente no fim da matéria.

Leia mais Notícias de Política no Portal Correio

“Muitos advogados são desrespeitados nas suas prerrogativas e os autores não são penalizados e esse cenário tem que acabar", pontuou Cássio.

Segundo o presidente da Ordem dos Advogados da Paraíba, Paulo Maia, a sociedade é quem ganha com esta proposta que garante mais cidadania, pois criminaliza as violações das prerrogativas dos advogados e garante o exercício da livre defesa. O presidente da OAB-PB parabenizou o senador Cássio pela “feliz e corajosa iniciativa”.

De acordo com a relatora do projeto na CCJ, senadora Simone Tebet (PMDB-MS), a intenção do PLS 141/2015 é proteger e defender o exercício da advocacia. O texto também disciplina a forma como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) poderá solicitar instauração de inquérito penal pela violação dos direitos dos advogados ou requerer a admissão como assistente do Ministério Público nas ações penais.

A proposta também transforma em crime o exercício ilegal da advocacia, que hoje é punível como contravenção. Além de estabelecer novas infrações disciplinares para Conselheiros da Ordem dos Advogados do Brasil e juízes do Tribunal de Ética da OAB que mantenham conduta incompatível com o cargo.

“Ainda não temos no país uma lei que puna os advogados que cometerem estas infrações. O objetivo da proposta é aperfeiçoar as regras estabelecidas no Estatuto da OAB”, afirma Cássio. O projeto agora segue para a Câmara dos Deputados.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

Atenção

Fechar