Vice-prefeito do Conde rompe politicamente com a prefeita Márcia Lucena

Temístocles Ribeiro Filho divulgou uma nota nas redes sociais, explicando que houve distorção no projeto político da prefeita e que agora só vai cumprir a “a função constitucional” de vice

Gestão | Em 05/10/17 às 16h40, atualizado em 05/10/17 às 16h55 | Por Redação
Divulgação
Márcia Lucena e Temístocles Filho

O vice-prefeito do Conde, – cidade da grande João Pessoa – Temístocles Ribeiro Filho (PEN), rompeu com a atual prefeita e parceira de chapa nas últimas eleições municipais, Márcia Lucena (PSB). Em pronunciamento oficial feito nas redes sociais, o vice-prefeito disse que agora só vai apenas cumprir “a função constitucional”.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

O político explicou que está muito triste com a situação, mas que o rompimento se dá em virtude de um distorção sofrida pelo projeto político que a prefeita Márcia Lucena representa para cidade.

“É com imensa tristeza e decepção que comunico a vocês meu afastamento oficial dessa estrutura de gestão da qual tentei contribuir nesses últimos 9 meses. vou cumprir apenas minha função constitucional de vice-prefeito, pois a função executiva foi gradativamente podada. Há exato 1 ano emprestei meu nome, o nome do meu pai e da minha família num projeto que acreditei ser o melhor para o Conde, dediquei-me, fiz questão de tentar participar ativamente, mas os rumos foram distorcidos daquilo que foi prometido em campanha”, disse Themístocles, em nota.

Prefeita rebate o vice

Também em nota oficial, a prefeita do município, Márcia Lucena, respondeu o vice-prefeito. Ela criticou a atitude do prefeito e acusou o político de tentar convencer a opinião pública de que existe uma crise político-administrativa.

“O anunciado afastamento do vice-prefeito eleito de Conde é uma decisão que agride frontalmente o projeto político de transformação ao qual nos dedicamos a construir juntos desde a campanha. É também irresponsável por tentar transparecer à opinião pública e ao eleitorado uma suposta crise político-administrativa, crise só existe na consciência do próprio vice-prefeito e que é resultante de sua incapacidade de honrar o compromisso assumido perante o eleitorado e às forças políticas que nos elegeram. Que fique claro que ele se recusou permanentemente a participar diretamente das decisões políticas e administrativas mais importantes da Prefeitura de Conde em nome de seus interesses particulares”, explicou.

A gestora também falou de alguns episódios em relação a escolhas de auxiliares da prefeitura e disse que o vice tinha influência sob as escolhas na pasta da Saúde.

“É uma decisão decepcionante, por revelar a fraqueza de quem não se dispõe a enfrentar os desafios que a gestão e as necessidades do município nos impõem. Pactuamos, ainda durante a campanha vitoriosa, que ao vice-prefeito caberia, a partir da nossa posse, orientar diretamente as ações da saúde. O vice-prefeito, no entanto, recusou o cargo de secretário, mas indicou a esposa para a função de secretária-adjunta, o que lhe garantiria uma inserção direta e permanente às instâncias de decisão Posteriormente, a esposa assumiu o cargo de secretária de Saúde, ampliando ainda mais o espaço a ele destinado para a tomada de decisões da política pública de atendimento à população de Conde”, diz a nota.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

Atenção

Fechar