"Vai, com jeito vai..."

Em entrevista, Rodrigo Maia justificou sua defesa pelo voto em lista, com o fim do financiamento por empresas

Mais política | Em 14/10/16 às 16h59, atualizado em 14/10/16 às 17h01 | Por Sony Lacerda

Se o projeto de reforma política, que nem ia para frente nem para trás, tivesse uma música, eu diria que seria “Com jeito vai”, da brilhante Emilinha Borba: “Vai Com Jeito / Vai / Com jeito vai / Se não um dia / A casa cai....”. A minha esperança reacendeu com as declarações do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, que garantiu que a proposta em análise no Congresso deve ser votada até o final de novembro, deste ano. Será que agora vai mesmo? Vamos dar um real de cabimento a palavra do democrata. De repente, sai do papel.

Dois pontos vão dar o que falar: o financiamento público, que deu rebuliço, e a tal da lista fechada - este último eu discordo, em parte, porque temo que os partidos façam dessa lista uma ‘panelinha’. Em entrevista ontem à imprensa, Rodrigo Maia justificou sua defesa pelo voto em lista, com o fim do financiamento por empresas. “Eu defendo voto em lista. Como não haverá financiamento privado de pessoa jurídica, o presidente Renan e os senadores já deixaram isso claro, no financiamento público só cabe voto em lista, é uma questão muito objetiva”.

Ele até explicou que essa escolha traria o menor custo eleitoral, para que um fundo público possa custear as campanhas. “Existem bons exemplos pelo mundo, e em vez de você fazer 70 campanhas de deputado no Rio, 100 para deputado estadual, você vai fazer uma única campanha. Melhor que o voto distrital, que seriam 513 campanhas, com isso seriam 27 campanhas apenas, uma por Estado para cada partido”. Resta saber se vai passar.

Tentativa 1

O vereador Djanilson da Fonseca não conseguiu segurar a cadeira na Câmara da Capital. Ficou na primeira suplência. Mas, se engana quem acha que ele está parado. Segundo a rádio peão apurou, ele estaria fazendo de um tudo para colocar João dos Santos, que foi reeleito, em uma secretaria do Governo Cartaxo.

Tentativa 2

A questão é: o PR de João dos Santos e Djanilson apoiou a candidata de oposição a Cartaxo, Cida Ramos. Segundo, João foi um dos que assinaram a CPI da Lagoa, ou seja, não está bem na fita. Haja poder de convencimento.

Recado dado

O senador José Maranhão mandou avisar: “Quem [prefeito eleito] deixar o partido e ir para outro, corre risco de perder o mandato”. E ai...

Retratação

Não sei se é verdade, mas... O vereador Renato Martins já teria gravado um vídeo com uma retratação às denúncias feitas contra os secretários Livânia Farias, Gilberto Carneiro e deputados da legenda. Vamos ver...

Relatoria

Ao que tudo indica, o deputado Gervásio Maia Filho, futuro presidente da Assembleia, será o relator da Lei Orçamentária Anual para 2017.

Informatização

O Tribunal de Justiça, através da Coordenadoria da Infância e da Juventude, está informatizando todos os dados inerentes a um melhor atendimento a crianças e adolescentes em casas de acolhida no Estado da Paraíba. O coordenador da COINJU é o juiz Adhailton Lacet Porto.

Se espalhando

Girassóis estão se espalhando pelo Cariri. Aliado antigo de Ricardo Coutinho em Gurjão, o empresário Adaílson Queiroz Coutinho foi eleito o vereador mais votado do município.

Só no outdoor

Depois do deputado Wilson Filho espalhar outdoors em letras cor laranja, agora foi a vez do prefeito reeleito Luciano Cartaxo, deixar seu recado nas ruas à população pessoense.

Balanço...

Sentenças proferidas em mais de 140 ações de improbidade administrativa e de crimes contra a administração pública serão divulgadas na manhã desta sexta-feira.

...da meta 4

A apresentação será às 9h, no Fórum Affonso Campos, em Campina Grande, pelo gestor da Meta 4 do CNJ no Tribunal, desembargador Leandro Santos.

Atenção

Fechar